Cão tratado em Santos (SP) após paralisia por maus-tratos ganha amor em novo lar

Cão tratado em Santos (SP) após paralisia por maus-tratos ganha amor em novo lar
Neck conquistou casal adotivo no primeiro encontro na Codevida - Fotos: Isabela Carrari

“Foi amor à primeira vista, um encontro que tinha que ser e que mudou nossas vidas”. É assim que a aposentada Luzia Cavaton se refere a Neck, cachorro que ela e o marido Ricardo adotaram na Coordenadoria de Defesa à Vida Animal da Prefeitura (Codevida), há cerca 15 dias. As declarações são dadas em meio a lambidas e olhares emocionados com lágrimas contidas.

Com as filhas criadas, o casal procurava um animal para ocupar os dias. Eles entraram em contato com a Codevida, querendo um cão de pequeno porte para o apartamento. Com quatro fotos de animais neste perfil que estavam disponíveis, eles foram ao local conhecer os pets, mas já de olho em um outro cachorro. Porém, Neck não deu chance para a concorrência e conquistou os dois na primeira aparição. “O outro ficou todo quietinho e quem veio correndo em nossa direção, todo brincalhão, foi o Neck. Ali ele nos ganhou”, lembra Ricardo.

Já não havia mais dúvidas de qual cão iria para o lar dos Cavatons, mas a história de vida do cão sem raça definida fez com que a adoção fosse acertada imediatamente. Em março, ele chegou à Codevida com uma lesão na coluna cervical, que fez com que ele ficasse tetraplégico, sem movimentos abaixo do pescoço. Depois de um tratamento que envolveu fisioterapia e acupuntura, em pouco meses ele evoluiu e leva uma vida normal.

“Achamos que seria um animal diferente, que exigiria mais cuidados, mas ele não dá trabalho nenhum. Aprende tudo muito rápido”, conta Ricardo. E essa recuperação tem uma única justificativa para Luzia: “Ele só recebeu carinho na Codevida, que tem um trabalho maravilhoso e contou com o apoio das médicas que o trataram com a medicina oriental chinesa”.

Além de ser o “dono da casa”, com canto favorito no sofá e direito a subir na cama dos “pais”, Neck também assumiu para si o jardim da praia como seu grande quintal, onde passeia duas vezes por dia. “Ele se esbalda nos jardins, brinca com todos os cachorros e faz o maior sucesso”, orgulha-se Luzia.

“Essa adoção fez mais bem para nós do que para ele. Adotar um animal faz bem para o coração, para a mente e até para a saúde da gente”, avalia a tutora de Neck.

COMO ADOTAR

A Codevida conta com aproximadamente 120 animais, entre cães e gatos, aguardando um lar definitivo. Quem tiver interesse pode ir à Avenida Francisco Manoel s/nº, Jabaquara, das 10h às 16h. Também é possível enviar mensagem pelo Instagram (@codevidaoficial) para obter mais informações.

Para adotar, não é necessário morar em Santos, mas o interessado precisa passar por entrevista para verificar se o perfil se enquadra nos cuidados necessários com o animal. A adoção de gatos só é autorizada para ambientes telados e sem rota de fuga.

TESTE

Para quem tem dúvidas sobre a adaptação do bichinho, a Codevida conta com o projeto Padrinho de Final de Semana, no qual a pessoa interessada recebe o animal em casa para passar um período pré-determinado. Depois desse tempo, caso a adaptação tenha sido positiva, ocorre a adoção definitiva. O Neck, por exemplo, foi nesse projeto.

Esta iniciativa contempla o item 15 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU: Vida Terrestre. Conheça os outros artigos dos ODS.

Por Egle Cisterna

Fonte: Prefeitura de Santos

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.