Capivara morre após ser atropelada em Lagoa Santa, MG; VÍDEO

Capivara morre após ser atropelada em Lagoa Santa, MG; VÍDEO
Capivara morreu após ser atropelada em Lagoa Santa (foto: Divulgação/ Amália Rocha)

É comum para quem transita pela orla da Lagoa Central, em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, deparar-se com dezenas de capivaras. O lazer em observar a rotina dos animais se tornou traumatizante para uma moradora da cidade que viu o roedor estendido no asfalto da rua após ser atropelado. Outros bichos da mesma espécie estavam próximos ao local.

“Gente, olha que dó, uma capivara foi atropelada e não consegue levantar, e a família toda olhando. Está escuro, mas tem umas dez”, relatou Amália Rocha.

A moradora encontrou a capivara por volta das 21h30 dessa terça-feira (15/6) rastejando pela via com sinais de fratura na perna e sangramento na boca.

Com o objetivo de evitar um novo atropelamento, ela sinalizou o local com galhos de árvore e tentou levar o roedor para perto da calçada.

“O que mais me doeu foi ver a família dela assistindo ela agonizar e não poder fazer nada”, disse.

Amália não conseguiu contato com a Polícia Militar de Meio Ambiente para resgatar o animal. Outros moradores se prontificaram a buscar ajuda, e o corpo da capivara foi retirado por uma equipe da prefeitura por volta das 12h desta quarta-feira (15/6).

Orientação

Segundo o sargento Moreira, da Polícia Militar de Meio Ambiente de Lagoa Santa, as capivaras da Lagoa Central transitam com frequência pela orla no período noturno, pois o fluxo de pessoas e veículos diminui. Assim, elas se sentem à vontade em buscar grama para se alimentarem.

Moreira orienta os moradores a acionarem Polícia Militar, prefeitura ou Corpo de Bombeiros caso vejam um animal silvestre acidentado. O telefone do batalhão de Meio Ambiente é 2123-1616. Se não conseguir contato, pode fazer via 190 ou 193.

Conforme o sargento, os órgãos públicos se encarregam do resgate e do transporte do animal a uma clínica veterinária. Outra opção para o cidadão é transportar o animal a um posto policial apenas para avisar.

Falta de efetivo

O pelotão de Lagoa Santa funciona até as 19h e existe apenas uma viatura para atender 10 municípios vizinhos.

A dificuldade de efetivo em Lagoa Santa foi muito debatida nas redes sociais. Na página de notícias Vetor Norte, um morador questionou a ausência de um plano de manejo de capivaras em Lagoa Santa.

Outras pessoas disseram que “os veículos têm passado pela orla da lagoa em alta velocidade” e criticaram a falta de medidas de proteção aos animais pelo poder público.

Por Nívia Machado

Fonte: Estado de Minas

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.