Capivara morre atropelada e filhote é resgatado ferido em Campo Grande, MS

Capivara morre atropelada e filhote é resgatado ferido em Campo Grande, MS
Capivara atropelada na Avenida Afonso Pena na manhã desta sexta-feira. (Foto: Silas Lima)

Um animal adulto morto, vítima de atropelamento, e um “bebê capivara” deitado perto do meio-fio: esse era o cenário de quem passou na Avenida Afonso Pena, próximo ao Aquário do Pantanal, na manhã desta sexta-feira (dia 12).

Ferido, o filhote foi resgatado pela PMA (Polícia Militar Ambiental), com suspeita de fratura na coluna,  e encaminhado ao Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) para tratamento. De acordo com a bióloga Ana Carolina França Balbino da Silva, as fêmeas costumam cuidar de todos os filhotes do grupo, independentemente de quem seja mãe.

“É como se todas as fêmeas virassem mãe quando nasce um filhote. Então se esse filhote for devolvido para o mesmo grupo que veio, ele pode ser adotado pelas outras capivaras. Mas se for devolvido para um outro grupo, é capaz que não seja bem aceito”, afirma.

Com peso médio de 50 quilos e 60 centímetros de altura, a capivara é o maior roedor do mundo e chega a viver até 12 anos. No entanto, corre perigo nas ruas de Campo Grande devido ao abuso de velocidade dos condutores.

Na Capital, o máximo permitido é de 50 km/h, velocidade que permite visualizar o animal, ligar o pisca-alerta e sinalizar a travessia. O atropelamento de capivara só se enquadra em crime ambiental se for atestado que o condutor agiu de forma intencional, jogando o veículo em direção aos animais. A pena vai de seis meses a um ano de detenção.

Suspeita é que filhote tenha fraturado a coluna. (Foto: Divulgação/PMA)

Por Aline dos Santos

Fonte: Campo Grande News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.