Casa é destruída pelas chamas, mas bombeiros salvam 2 cães

Casa é destruída pelas chamas, mas bombeiros salvam 2 cães
O mototaxista Hernandes Calejan Munhoz e a cadela Belinha (Fotos: Malavolta Jr.)

O mototaxista Hernandes Calejan Munhoz, de 47 anos, perdeu tudo o que tinha após a residência onde vive, na Vila Cardia, em Bauru, ser tomada por um incêndio, nessa quinta-feira (10) à tarde. Por outro lado, suas duas cadelas, de raças indefinidas, foram resgatadas com vida.

O imóvel, de três quartos, sala e cozinha, fica na quadra 15 da rua Ezequiel Ramos, logo atrás do Memorial Bauru. Munhoz vivia no local, que era alugado, junto às cadelas, ambas chamadas de Belinha. Ele não faz ideia do que tenha provocado o incêndio.

“Estava trabalhando e um amigo me ligou para avisar que minha casa pegou fogo. Já as cadelas ficaram em um quarto situado no quintal, até a chegada do Corpo de Bombeiros. Elas tentaram se proteger da fumaça. Por sorte, foram resgatadas com vida. Amanhã, vou levá-las ao médico veterinário, para ver se está tudo bem”, preocupa-se.

Ao lado da casa, havia uma obra e os pedreiros ajudaram os Bombeiros a retirar os animais da casa. “Tivemos de derrubar o muro”, relata um motorista que passava pelo local e preferiu não ser identificado.

COMBATE A CHAMAS

Saulo dos Santos Vitale, que é 1.º tenente do Corpo de Bombeiros, afirma que as chamas só não chegaram até a casa vizinha, porque esta era feita de alvenaria. “O fogo ficou na casa de madeira e, em meia hora, o combatemos com aproximadamente 5 mil litros d’água”, acrescenta.

Conforme informações dos bombeiros, imóvel ficou destruído.
Conforme informações dos bombeiros, imóvel ficou destruído.

Ainda não se sabe as causas do incêndio, que será investigado pela Polícia Civil. No final da tarde, a Defesa Civil seria acionada para prestar assistência ao morador.

SERVIÇO

Se alguém quiser ajudar Munhoz, basta entrar em contato pelo telefone (14) 99819-8959. Por enquanto, ele ficará na casa de seu irmão.

Por Cinthia Milanez

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.