Casal morre de Covid-19 e deixa vira-lata órfã: ‘Filha que eles nunca tiveram’, diz amiga

Casal morre de Covid-19 e deixa vira-lata órfã: ‘Filha que eles nunca tiveram’, diz amiga
Tutores e a cadela Lara, em Jundiaí. Foto: Arquivo pessoal

A morte de um casal de idosos sem filhos por Covid-19 no bairro São João, em Jundiaí (SP) deixou a vira-lata caramelo Lara, sem abrigo. Ela está provisoriamente na casa de uma vizinha, que iniciou a seleção de candidatos dispostos a adotar a cadela.

Mônica Cristina Ferracini contou que a cadelinha de cerca de 6 anos foi resgatada por Renato Costa e Sônia Rodrigues Costa quando ainda era filhote e sofria maus-tratos nas ruas. Os dois trataram de Lara, que era mimada e tinha até um sofá próprio na casa.

Mônica lembrou que os vizinhos tinham outro cães, mas toda vez que caminhavam viam o sofrimento de Lara, que morava no mesmo bairro.

“A gente via a carinha dela que queria sair de lá [antiga casa]. De tanto que Sonia ficou brava e até brigou com o antigo dono, ele decidiu doar para ela”, disse.

Segundo Monica, a vizinha convenceu o marido e os dois adotaram a cadela que estava mal cuidada.

“Fizeram dela uma filha. Uma filha que eles nunca tiveram. Era muito mimada, brincava e passeava com a Sônia e o Renato. Ela merece ter isso de novo que eles deram”, disse.

Internação e morte

Cadela Lara perdeu os donos para a Covid-19 em Jundiaí. Foto: Reprodução/Facebook
Cadela Lara perdeu os donos para a Covid-19 em Jundiaí. Foto: Reprodução/Facebook

A vizinha contou que o primeiro a ser internado com coronavírus foi Renato. Com o marido no hospital, Sônia apresentou os sintomas e também precisou ser encaminhada para atendimento.

Preocupada com o animal de estimação, ela pediu para que a vizinha cuidasse de Lara até que eles se recuperarem da doença. Porém, a alta hospitalar não chegou.

“Disse que tinha confiança para eu cuidar dela, enquanto fosse ao médico. Foi triste, porque ela se preocupava muito com a cachorra”, lamentou.

Dona publicava fotos da cadela.  Foto: Reprodução/Facebook
Dona publicava fotos da cadela. Foto: Reprodução/Facebook

Sônia morreu no dia 23 de maio deste ano. Renato não resistiu à doença e morreu no dia 2 de julho. Os dois estavam internados no Hospital São Vicente, também em Jundiaí.

“A pessoa tem que continuar com amor e carinho. Ela é uma cachorra companheira, não de guarda. Não queremos qualquer um para largar na rua.”

A UIPA (União Internacional Protetora dos Animais) de Jundiaí também fez uma publicação nas redes sociais para ajudar na busca por um dono.

Por Carlos Henrique Dias, G1 Sorocaba e Jundiaí

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.