Caso do cão que entrou no Circuito em Macau causou ontem tensão

No final da edição de 2916 do Grande Prémio de Macau, o Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, participou numa conferência de imprensa para responder a questões sobre a competição. Depois de estar alguns minutos a falar com os jornalistas ligados aos meios de comunicação em língua chinesa, o Secretário pediu a Pun Weng Kun para que respondesse a algumas questões. Com eles estava igualmente Chong Coc Veng, presidente da Associação Geral de Automóvel de Macau-China.

Quando foi levantada a questão do método utilizado pelos comissários de pista para afastarem um cão que tinha entrado no circuito – tendo sido utilizada uma vassoura que não chegou a atingir o animal – Pun Weng Kun optou por não responder. Perante a insistência do mesmo jornalista, Chong Coc Veng perguntou ao profissional para que meio de comunicação ele trabalhava, questão que por vezes – e dependendo do contexto – tem uma conotação negativa entre os órgãos de comunicação chineses.

Foi nessa altura que o jornalista levantou a voz para questionar Chong Coc Veng sobre o caso do cão. O membro da Comissão Organizado do Grande Prémio acabou por não responder. Por sua vez, Alexis Tam manteve-se à margem do caso, uma vez que já aguardava há alguns minutos para falar com os jornalistas dos órgãos de comunicação social em língua portuguesa.

Mantida a grafia original.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.