Caso “supercola”: Instituto onde pássaros e répteis morreram em muro diz que buscou ‘solução segura’

Caso “supercola”: Instituto onde pássaros e répteis morreram em muro diz que buscou ‘solução segura’
Os animais morreram após ficarem presos no muro do Instituto (Foto: Divulgação/ SOS Aves e Cia)

O Instituto D’Or se pronunciou nesta quarta-feira sobre a morte de 30 animais que ficaram presos numa supercola colocada no muro da instituição, em Botafogo na Zona Sul, do Rio. Em nota enviada ao EXTRA, o instituto disse que contratou uma empresa particular para fazer o controle populacional de pombos, mas não esclareceu como a supercola foi colocada no muro, matando pássaros e répteis.

“O Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino esclarece que detectou a presença de pombos na área de um transformador de energia, o que pode causar curtos-circuitos, incêndios, além de riscos aos pássaros. Para evitar acidentes, o IDOR contratou uma empresa especializada e atestada (Repelente Birds) para a busca de uma solução segura e adequada ao meio ambiente.

A empresa Repelent Birds informou ao IDOR que o produto utilizado é atóxico, ecológico e inofensivo. Ele funciona mediante a exalação de odor que afasta os pombos. O IDOR reitera sua firme intenção de atuar sempre de acordo com as normas jurídicas, e está à disposição para buscar soluções alternativas que possam harmonizar todos os importantes interesses aqui envolvidos”, diz a nota.

O Centro de Controle de Zoonoses, da Prefeitura do Rio, notificou o instituto nesta quarta-feira sobre o crime ambiental.

Pequenos répteis também ficaram presos (Foto: Divulgação/ SOS Aves e Cia)
Pequenos répteis também ficaram presos (Foto: Divulgação/ SOS Aves e Cia)

 Controle de animais deve ser feito por autoridades

O ambientalista e presidente da ONG SOS Aves e Cia, Paulo Maia, esclarece que, por lei, o controle populacional deve ser feito por autoridades responsáveis:

— Nenhuma empresa particular tem autorização para fazer o controle populacional de qualquer espécie animal em qualquer lugar do país. Você pode ter autorização para controle de pragas, como ratos e baratas, mas o que foi morto ali são aves e aves protegidas por lei. Houve um crime ambiental, e vamos continuar com o caso até o final — afirmou o ambientalista.

O muro estava cheio de cola (Foto: Divulgação/ SOS Aves e CIA)
O muro estava cheio de cola (Foto: Divulgação/ SOS Aves e CIA)
O pote de supercola que matou os animais (Foto: Divulgação/ SOS Aves e Cia)
O pote de supercola que matou os animais (Foto: Divulgação/ SOS Aves e Cia)

Por Diana Figueiredo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.