Casos de animais envenenados em Rio Claro (SP) acendem alerta para cuidados

Casos de animais envenenados em Rio Claro (SP) acendem alerta para cuidados

O envenenamento de animais é uma prática criminosa que gera revolta e tristeza, porém é mais frequente do que imaginamos. Em Rio Claro, algumas situações recentes chamaram a atenção da população.

Em agosto, um leitor do JC enviou denúncias de envenenamento de dois gatos na região do Jardim São Paulo. Nessa semana, o mesmo leitor entrou em contato com a redação novamente e relatou a morte de um terceiro gato, totalizando três ocorrências no período de dois meses.

Também nessa semana, publicação nas redes sociais relata o envenenamento de um cachorro que precisou ser socorrido em um hospital veterinário. Outras publicações relatando situações parecidas são frequentes.

Em entrevista ao Jornal Cidade, a médica veterinária Thais Bregadioli D’ávila falou sobre o envenenamento de animais e deu orientações para a população.

Segundo a veterinária, é necessário ter cuidados e, em caso de perceber o envenenamento, tomar algumas providências rápidas: “O primeiro passo é perceber os sintomas, os mais comuns são salivação excessiva, tremores, apatia, alterações na pupila e dificuldade para andar. Nestes casos é necessário procurar a ajuda de um veterinário e, se possível, levar vestígios do veneno para que o atendimento seja mais fácil e rápido. Esses vestígios podem ser pedaços de alimento, plantas, substâncias encontradas na boa do animal, etc. Uma sugestão para ação imediata quando se percebe o envenenamento é lavar a boca do animal, sem deixar ele ingerir a água, e mantê-lo em jejum. Carvão ativado diluído em água também ajuda”.

Alguns cuidados também podem ser tomados para evitar que o envenenamento ocorra. “É bom não deixar o animal gerar incômodo aos vizinhos, evitar que ele fique na rua, colocar tela nas grades para dificultar ações contra o animal e tentar adestrar o bicho para comer só aquilo que o próprio dono oferecer e para não pegar comida do chão ou da mão de estranhos”, sugere a veterinária.

Causas

Além do envenenamento intencional, os animais podem ser contaminados comendo plantas, ratos envenenados, etc.

Fonte: Jornal Cidade


Nota do Olhar Animal: O envenenamento intencional poderia ser combatido de forma relativamente fácil, com a identificação e punição a quem vende os venenos que comumente são ilegais (chumbinho, estricnina etc.). Mas as autoridades municipais e estaduais são invariavelmente NEGLIGENTES em relação a este assunto.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.