Estudos sobre contato de animais com a lama de rejeitos estão parados

Um ano após o rompimento da barragem de rejeitos de minério da Samarco, pesquisadores do Espírito Santo enfrentam dificuldades financeiras para conseguir medir os impactos que a tragédia causou no meio ambiente. Uma delas é sobre os animais: ainda não se sabe das consequências causadas às tartarugas marinhas, que têm Regência como ponto de desova.

LEIA MAIS Estudos sobre contato de animais com a lama de rejeitos estão parados