Cavaleiro olímpico aparece agredindo pônei em vídeo causando revolta na internet

Cavaleiro olímpico aparece agredindo pônei em vídeo causando revolta na internet
Leandro Aparecido da Silva é acusado de maltratar pônei — Foto: Reprodução/Instagram

Um vídeo polêmico de um cavaleiro dando trancos bruscos em um pônei durante um treinamento ganhou as redes sociais desde o último domingo, gerando uma série de protestos e cobranças às autoridades. O homem que aparece nas supostas agressões é Leandro Aparecido da Silva, atleta olímpico com vasta experiência em hipismo adestramento e integrante da seleção brasileira da modalidade. O caso repercutiu primeiramente na revista “Horse”.

View this post on Instagram

🚨 ATENÇÃO – DENÚNCIA GRAVE DE MAUS-TRATOS – BOITUVA – SP 🐴 ‼ Ponei é COVARDEMENTE sobmetido a castigo por ter derrubado uma criança de dois anos. O responsável pela CRUELDADE é Leandro Aparecido da Silva adestrador de cavalos e que já foi medalhista olímpico pelo Brasil. Obtivemos informação de que o fato ocorreu há alguns meses no Haras Adonai em Boituva – SP ‼Precisamos URGENTEMENTE de ativistas de Boituva para denúncia junto ao Ministério Público!!!! NENHUM animal deve ser submetido a abuso humano. A expressão do comportamento natural da espécie é uma liberdade que nenhum ser humano deve violar. BASTA DE COVARDIA CONTRA ANIMAIS!!!! #maustratos #torturaanimal #hipismo #cavalos #hipica #ponei #harasadonai #leandrosilva #cavaleiro #abusoanimal #shp #sociedadehipica #cbh #equitação #equitacao #adestramento #confederacaobrasileiradehipismo #sociedadehipicapaulista #maustratosécrime #direitosanimais #montarias #montarianao #direitosdosanimais #hipismobrasileiro #crueldadeanimal #respeitoanimal #boituva #sp #saopaulo #brasil

A post shared by Nação Vegana Brasil (@nacaoveganabrasil) on

Com mais de 20 anos de hipismo, Leandro integrou a equipe brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo 2003, Guadalajara 2011 e Toronto 2015. O ápice da carreira do atleta foi em 2008, quando ele representou o Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequim.

Após a polêmica, o cavaleiro tratou de se justificar com uma postagem em suas redes sociais, ressaltando que a sua filha foi mordida pelo pônei momentos antes do vídeo.

– Temos um pônei que é tratado com tudo do bom e do melhor, mas atacou minha filha de 2 anos, mordeu as costas dela, deixou na carne viva. Na hora fiquei muito indignado, porque ele foi realmente maldoso. Do jeito que eu estava, no mesmo momento montei ele para tentar mostrar que ele não deveria mais ter aquele tipo de atitude. Eu estava sem chicote, sem botas ou esporas e apenas com bridão – escreveu o atleta nas redes sociais.

Em nota divulgada na noite na terça, a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) informou que vai investigar o caso. Já a Federação Paulista de Hipismo, da qual Leandro é federado, divulgou nota de repúdio.

Nota da Confederação Brasileira de Hipismo sobre o caso de Leandro Silva — Foto: Reprodução

– Reafirmamos que repudiamos quaisquer atos de maus tratos e atitudes de abuso com risco a integridade física ou emocional de qualquer animal. Diante do comunicado da CBH divulgado nesta data, informamos que estamos alinhados com o mesmo princípio de bem-estar e confiantes que os órgãos responsáveis caminhem com os procedimentos necessários no âmbito administrativo e desportivo – disse a FPH em comunicado.

Leandro é prestador de serviços na Sociedade Hípica Paulista. Na quarta-feira, a entidade divulgou em nota que ele e seu filho tiveram o cartão de frequência cancelados.

– A Sociedade Hípica Paulista não concorda e repudia toda e qualquer prática que atente contra o bem estar e a integridade física de cavalos – afirma a nota de repúdio da Sociedade Hípica Paulista

Em entrevista à revista “Horse”, Leandro se defendeu. Ele disse que o pônei não se feriu, está bem e sendo bem tratado.

– Só quero mostrar realmente quem eu sou. Não sou esse monstro que estão falando nas redes sociais. As pessoas que me conhecem de verdade sabem quem eu sou, a pessoa que sou. Sabem o quanto eu lutei pelo esporte, pelos animais. Aí com uma correção no pônei da minha filha, porque tinha mordido a minha filha. Peguei uma vez para corrigir, uma coisa mal contada, mal feita, causou tudo isso – disse Leandro à “Horse”.

Leandro Aparecido da Silva disputou os Jogos Olímpicos de Pequim 2008 — Foto: Bruno Miani/Inovafoto

Atleta pode perder direito de disputar vaga em Tóquio
 
No ano passado, por conta do desempenho nos Jogos Pan-Americanos de Lima, o Brasil conseguiu a classificação por equipes para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Contudo, o país caiu no ranking nos meses seguintes, perdendo o critério para manter o posto e passando a ter apenas uma vaga, cujo favorito é o cavaleiro João Victor Oliva, filho de Hortência.

Correndo por fora, Leandro Silva ainda busca o índice. Agora o atleta aguarda a posição do STJD para saber se levará ou não uma suspensão que pode culminar no fim das chances de classificação para a sua segunda participação olímpica.

Fonte: Globo Esporte

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.