Animal ferido foi resgatado pelo Comando Ambiental da Brigada Militar. Brigada Militar / Divulgação

Cavalo em situação de maus-tratos é resgatado em terreno do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre

Um cavalo ferido e desorientado foi resgatado pelo Comando Ambiental da Brigada Militar no terreno do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, na manhã desta quarta-feira (4). O animal foi localizado por funcionários no gramado do aeroporto — área onde ocorrerá a ampliação da pista, próxima aos muros que limitam o terreno com a Vila Nazaré.

De acordo com o capitão João César Verde Selva, responsável pelo batalhão ambiental, dias antes, o cavalo estava caído em uma vala feita para obra da ampliação da pista. Ele foi retirado dali por funcionários do aeroporto, que o deixaram no gramado. No entanto, o animal não apresentou melhora, por isso as autoridades da área ambiental foram chamadas. Devido aos ferimentos pelo corpo, o equino não conseguia levantar, comer ou beber água.

— Acreditamos que os moradores quebraram o muro do aeroporto e atiraram o cavalo na região onde está sendo construída a pista por pensar que ele estava morto. É um problema recorrente no local — declarou Verde Selva.

O Comando Ambiental fez contato com um médico veterinário e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) para diagnóstico dos ferimentos. Mesmo com a situação de debilidade, o profissional entendeu que não havia a necessidade de sacrifício. O animal foi levado para o Hospital Veterinário da UFRGS em um caminhão do serviço de remoção de equinos da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

O Comando Ambiental afirma que não foi possível identificar os autores dos maus-tratos ao animal.

Também nesta quarta-feira (4), outros seis cavalos foram resgatados perdidos nas ruas de Porto Alegre. Eles foram encontrados na Avenida dos Gaúchos, também na Zona Norte, e resgatados pela EPTC para o abrigo de animais, no bairro Chapéu do Sol. Lá, eles serão examinados, tratados, cadastrados e possivelmente disponibilizados para adoção.

Por Vitor Rosa

Fonte: Gaúcha ZH

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.