Cavalos são encontrados em situação degradante no Grande Recife, PE

Cavalos são encontrados em situação degradante no Grande Recife, PE

Enquanto um agoniza na Zona Sul do Recife, outro foi encontrado morto. Associação em defesa dos animais resgatou 15 bichos em apenas um ano.

O primeiro cavalo foi visto vagando sem rumo pela Imbiribeira. Para não causar acidentes e nem se machucar ainda mais, populares resolveram amarrar ele em um poste, enquanto o resgate não aparece. O segundo já foi recolhido pela Prefeitura de Olinda, segundo o Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv). A causa da morte é desconhecida.

O G1 entrou em contato com a Secretaria-Executiva dos Direitos dos Animais do Recife e a Secretaria de Imprensa do estado, mas ainda não obteve retorno.

Atuando em resgates e recuperação de animais de pequeno e grande porte desde 2013, a diretora do SOS Dentinho, Goretti Queiroz, denuncia que no último ano retirou 15 cavalos das ruas e avenidas da Região Metropolitana do Recife. “Essa é uma briga antiga. Encontramos esses cavalos em uma situação mais difícil que a outra”, completa.

Sancionada em outubro de 2013, a Lei de número 17.918 vale desde março de 2014. O artigo dispõe da proibição de carroças puxadas por animais na ruas e avenidas da capital pernambucana, sob pena de R$ 500 em multa. Para a diretora do SOS Dentinho, a falta de fiscalização da norma é um dos fatores que provoca tantos casos de maus-tratos ou mortes nas vias públicas.

“Estamos em 2016 e nada dela [lei] sair do papel. Enquanto isso, os animais padecem nas ruas. Olinda não tem lei sobre isso nem o estado. Apresentamos essa proposta para o governador Paulo Câmara (PSB) na campanha. Na época, ele prometeu identificar uma área que serviria de santuário para esses animais, mas até hoje não vimos nada ser cumprido”, reclama. 

Ela ainda explica que, geralmente, esses cavalos e vacas são soltos para se alimentar sozinhos. Porém, o alimento que encontram pela região metropolitana nada mais é que lixo. “Eles ficam soltos procurando comida e acabam se alimentando de lixo. Além de derrubar e espalhar esse material, causando problemas para a população, esse animais ficam doentes porque não encontram nada decente. Eles têm um estômago muito sensível, sentem muita cólica. Tanta que podem até morrer por causa disso”, comenta Goretti.

Ao todo, a diretora do SOS Dentinho acredita que existam mais de 4 mil animais de grande porte no Grande Recife, julgando o último levantamento entregue pelos carroceiros em 2013. Quem circula pela RMR nem se espanta mais de ver tantos animais andando e procurando comida nas vidas.

“Precisamos fazer um trabalho progressivo desses animais. Nós alugamos transporte, levamos para sítios de parceiros e cuidamos deles. Tudo isso bancado por nós ou por doadores. Se nós conseguimos fazer esse trabalho, por que o poder público não consegue? É um absurdo. Os animais estão morrendo de momo nas ruas. Uma doença infecciosa altamente transmissível para os humanos. Algo precisa ser feito”, cobra.

Assista ao vídeo clicando aqui.

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.