CCZ esclarece sobre coleta de sangue para investigação de Leishmaniose em Dourados, MS

CCZ esclarece sobre coleta de sangue para investigação de Leishmaniose em Dourados, MS

MS Dourados leishmaniose

Diante dos boatos que vem se espalhando nas redes sociais orientando a população a não permitir a coleta de sangue de animais pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) da Prefeitura de Dourados, o órgão faz esclarecimentos. O teste é seguro e faz parte de ações importantes para a saúde pública, por isso os donos de cães e gatos devem permitir o trabalho dos agentes.

O primeiro esclarecimento é de que o exame realizado pelo CCZ é de triagem, e tanto a técnica quanto o kit utilizados são estabelecidos e encaminhados pelo Ministério da Saúde. Os mesmos procedimentos e produtos são os usados em clínicas particulares e em diversos países. É bastante preciso e seguro.

Leia também

Caso o animal apresente resultado positivo no primeiro teste, é realizada ainda outro para contra prova, com a finalidade de confirmar ou não a doença. A coleta feita pelos agentes é encaminhada para Campo Grande e o exame nesta é feito pelo Lacen (Laboratório Central).

Mesmo que constatado que o animal seja positivo para Leishmaniose Visceral Canina, o CCZ em momento algum obriga o tutor a entregá-lo. O cidadão é orientado sobre os riscos da doença, bem como da necessidade de limpeza do ambiente em geral.

O CCZ ainda reforça que não tem interesse em realizar eutanásias sem necessidade, muito menos em polemizar o assunto. O objetivo é detectar os locais onde a doença vem ocorrendo e assim poder agir estrategicamente no intuito de tentar conter a epidemia que se instala no município.

O Centro já faz um trabalho de orientação e fiscalização de terrenos baldios, inclusive multando os proprietários que não limpam estes imóveis. A contribuição da população com ações preventivas é de extrema importância para a continuidade desse trabalho, mantendo sempre os terrenos baldios e quintais de casa limpos. Dessa forma serão protegidos tanto os animais quanto humanos da doença.

Fonte: Jornal Agora MS 

Nota do Olhar Animal: As prefeituras que continuam assassinando cães adoecidos por conta da leishmaniose podem e devem ser acionadas judicialmente. A prefeitura de Campo Grande já foi proibida pela Justiça de realizar a matança. Tutores têm obtido também na Justiça o direito de tratar seus cães, como é feito em outros países.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.