Centro de Bem-estar Animal suspende novos atendimentos em Joinville, SC

Centro de Bem-estar Animal suspende novos atendimentos em Joinville, SC
Sede do Centro de Bem-estar Animal de Joinville(Foto: Salmo Duarte, Arquivo A Notícia)

O Centro de Bem-estar Animal (CBEA) suspendeu novos atendimentos aos animais de rua feridos ou vítimas de maus-tratos há 15 dias em Joinville. Segundo o município, isso ocorre porque um mandado judicial suspendeu a contratação de uma clínica veterinária para fazer os procedimentos.

O município realiza anualmente a licitação para contratar uma clínica veterinária, já que o CBEA não tem centro cirúrgico que possa ser usado no atendimento dos animais que dão entrada na unidade.

No entanto, desta vez a segunda colocada na licitação contestou o resultado, gerando o mandado judicial, de acordo com Joice de Souza Rezende, do Grupo de Apoio, Resgate e Respeito Animal (Garra).

Joice é uma das protetoras dos animais que atua na cidade e que estão preocupadas com a situação após a suspensão dos novos atendimentos. Atualmente, a equipe do CBEA está realizando exclusivamente o atendimento clínico dos animais já abrigados na própria unidade ou em lares temporários, em um total de aproximadamente 700 animais.

– A gente entende que é uma licitação, sei como funciona o processo, mas não estamos falando de uma licitação para comprar cadeira, mesa ou caneta. Estamos falando de vidas. Que se arrume uma maneira de resolver isso, mas sem parar o atendimento porque está sobrando tudo para a gente – cobra.

A protetora ainda afirmou que recebeu informações de que, em três oportunidades, a Justiça solicitou informações para a procuradoria do município em relação à licitação, mas não foi respondida. Questionada se havia deixado de responder aos pedidos, a prefeitura informou apenas que o “município vai responder à Justiça”.

A prefeitura também afirmou que recorreu da decisão judicial de suspender a contratação da clínica veterinária.

Protetores precisam atender à demanda

O procedimento normal realizado pelo CBEA é atender aos casos novos que chegam por meio de denúncias pela ouvidoria da prefeitura. No entanto, com a suspensão dos atendimentos e sem uma perspectiva de quando serão retomados, os protetores estão precisando encontrar maneiras de ajudar os animais.

– Estão chegando cinco, seis, sete cachorros por dia para mim. Está bem difícil porque trabalhamos com nossos carros e nosso dinheiro. Fazemos por amor, mas os animais têm o direito de serem atendidos – defende.

A prefeitura afirmou que não há um prazo para a retomada dos novos atendimento no Centro de Bem-estar Animal de Joinville.

Por Hassan Farias

Fonte: NSC Total

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.