Animais são recebidos no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Juiz de Fora — Foto: IEF/Divulgação

Centro de Triagem de Animais Silvestres de Juiz de Fora (MG) já recebeu mais de 1.700 bichos em um ano

O Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Juiz de Fora, estrutura compartilhada pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), já recebeu mais de mil animais em um ano. A informação foi divulgada pela assessoria do órgão ao G1.

De acordo com o Cetas, desde 2018, pelo menos 1.700 animais foram atendidos a partir de entrega voluntária, recolhimento ou de ações de fiscalização. Deste total, já foram soltos cerca de 1.023 de bichos.

Conforme a assessoria do Centro de Triagem, os animais recebidos no Cetas são avaliados, passam por triagem e recebem tratamento quando necessário e são encaminhados para a reabilitação e soltura. Em alguns casos são destinados a mantenedores, quando não têm condições de serem reintroduzidos na natureza.

Soltura

A maior parte das solturas dos animais são feitas em etapas. Inicialmente, eles permanecem no viveiro ou área reservada para adaptação ao ambiente, e após essa quarentena, os bichos são soltos em Áreas de Soltura de Animais Silvestres (Asas).

Depois de tratamento e reabilitação, bichos são soltos na natureza — Foto: IEF/Divulgação
Depois de tratamento e reabilitação, bichos são soltos na natureza — Foto: IEF/Divulgação

Segundo o órgão, o local da ASAS não é divulgado para impedir a ação de caçadores e traficantes de animais silvestres. Além da permissão do IEF para o acompanhamento da soltura, é necessária a autorização dos proprietários para o acesso, já que são áreas particulares.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.