Cerca de 20 gatos e sete filhotes de capivara são encontrados mortos no campus da UFMT; suspeita é de envenenamento

Recentemente, gatos e capivaras apareceram mortos no campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá. Entidades de proteção animal suspeitam que eles tenham sido envenenados.

Em nota, a UFMT diz que repudia atos de maus-tratos aos animais e que se mantém aberta ao diálogo com todos s setores para buscar soluções para o problema.

Mesmo sendo crime, vários animais são abandonados frequentemente na UFMT. Em períodos de feriados prolongados, como do carnaval, o número de gatos abandonados aumenta.

ONGs e protetores de animais estimam que existam entre 700 e 800 gatos vivendo no campus. Esse número aumenta porque muitos deles não são castrados, sem contar nos abandonos. Além disso, protetores identificaram casos suspeitos de envenenamento.

Em oito dias, 20 gatos foram encontrados mortos e sete filhotes de capivaras.

A diretora do projeto Lunnar, Yedda Fonseca Vivela, disse que a entidade sente mais falta do apoio da UFMT no trabalho de resgate e ajuda aos animais abandonados, já que a instituição possui um hospital universitário

Para manter o projeto, eles contam com ajuda e recolhem frascos de desodorante, que são vendidos para arrecadar dinheiro para o projeto.

A UFMT alega, na nota, que repudia quaisquer atos de maus-tratos aos animais, que se configuram crimes, com pena de detenção e multa previstas em lei, e devem ser denunciados às autoridades competentes.

“As denúncias recebidas pela UFMT são transformadas em processo e, a partir do empenho de suas unidades administrativas, apuradas”, diz.

Por Tiago Terciotty, TV Centro América

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.