Cerca de 40 gatos viviam em mata incendiada por mulher em Franca, SP, diz delegado; 22 morreram

Cerca de 40 gatos viviam em mata incendiada por mulher em Franca, SP, diz delegado; 22 morreram
Sequência das imagens mostra início de incêndio em mata de Franca (SP) — Foto: EPTV/Reprodução

Cerca de 40 gatos viviam na mata de Franca (SP) que foi incendiada por uma mulher na quarta-feira (7), de acordo com a Polícia Civil. Com o fogo, 22 animais morreram e outros precisaram ser internados em uma clínica veterinária.

O delegado Eduardo Bonfim, responsável pela investigação, afirmou que a Polícia Civil já identificou a suspeita e deve intimá-la para depor na próxima semana. As imagens do incêndio, registrado por câmeras de segurança, estão sendo analisadas pelo Instituto de Criminalística (IC).

VÍDEO: Polícia Civil investiga mulher que colocou fogo em mata e matou 15 gatos em Franca, SP

“Ao que tudo indica, ela sabia que os gatos estavam lá e, mesmo assim, colocou fogo. Ela sabia. Os vizinhos fazem casinhas para os animais, levam alimentos, levam ao veterinário. São animais comunitários”, diz o delegado.

As imagens mostram quando a suspeita chega perto da mata, localizada no bairro Jardim Barão, entra e sai da área verde. Minutos depois, o incêndio começa e as chamas se espalham rapidamente pelo local, onde também vivem pássaros e outros animais. (Veja o vídeo acima.)

Moradores tentaram conter o fogo com mangueiras e acionaram o Corpo de Bombeiros. Em seguida, procuraram a Comissão de Proteção e Defesa Animal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Franca, que está colaborando com a Polícia Civil nas investigações.

Morador tenta apagar incêndio em mata de Franca (SP) — Foto: EPTV/Reprodução
Morador tenta apagar incêndio em mata de Franca (SP) — Foto: EPTV/Reprodução

A advogada Maysa Kaluf, que faz parte da comissão da OAB, afirmou que uma idosa e a filha dela, que cuidavam dos gatos, estiveram na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) na tarde desta sexta-feira para prestar depoimento.

“Estes animais comunitários são protegidos pela lei. Apesar de ficarem na rua, eram extremamente bem tratados. A idosa alimentava todo dia, colocava água, vacinava. Eles estavam castrados e os filhotes que nasciam eram encaminhados para adoção, e as mães eram castradas”, diz Maysa.

O crime foi registrado como crueldade contra animais, mas a tipificação pode ser alterada para maus-tratos com o decorrer da investigação. Com a nova lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, a pena para quem maltratar animais pode chegar a cinco anos de prisão.

Sequência das imagens mostra início de incêndio em mata de Franca (SP) — Foto: EPTV/Reprodução
Sequência das imagens mostra início de incêndio em mata de Franca (SP) — Foto: EPTV/Reprodução

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.