Cervejaria dá ‘licença-cachorro’ para funcionários que adotarem um filhote

Cervejaria dá ‘licença-cachorro’ para funcionários que adotarem um filhote
Cervejaria dá 'licença-cachorro' para funcionários que adotarem um filhote

Uma cervejaria, na Escócia, oferece aos funcionários que adquirirem um filhote de animal uma semana de folga para cuidar do novo membro da família. Esses dias servem para a adaptação do pet. Os empregados que quiserem levar seus cães para o trabalho também estão autorizados e podem trabalhar normalmente ao lado dos melhores amigos.

Não é à toa que o nome da cervejaria é BrewDog (em português poderia ser traduzido como Cachorro Fermentado). Os bares que ofertam a bebida também costumam aceitar a entrada de animais em suas dependências. A empresa com inspiração canina em breve passará a oferecer o benefício para os operários da filial em Ohio, nos Estados Unidos.

Os fundadores James Watt e Martin Dickiem fundaram a companhia em 2007. Eles se disseram ansiosos para dar aos trabalhadores tempo suficiente para cuidar dos novos animais de estimação e que não ficasse preocupados com os bichinhos durante o trabalho.

“Sim, temos cachorros nos nossos escritórios, o que torna todo mundo mais alegre e relaxado. Nós sabemos muito bem que a chegada de um filhote requer cuidados. Então, estamos nos tornando os primeiros do setor a ajudar na adaptação do novo membro peludo da família”, diz o anúncio no site da empresa.

O site da companhia diz que tomou essa atitude com o objetivo de ser a melhor empresa para se trabalhar. “Seja homem, mulher ou cachorro, encorajamos todos os membros da nossa família a cuidarem uns dos outros”.

BrewDog é uma das cervejarias artesanais com o maior crescimento no mundo, tendo o maior crescimento do número de investidores entre 2007 e 2015. Atualmente, a empresa conta com 32 mil acionistas.

Permitir cães em escritórios é algo bastante popular em gigantes da tecnologia. Tanto o Google quanto a Amazon permitem que membros de suas equipes levem animais para o trabalho.

Fonte: Diário de Pernambuco

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.