Cervo está sendo cuidado pela equipe Núcleo de Conservação e Reabilitação de Animais Silvestres (Preservas) do Hospital Veterinário da UFRGS (Foto: Preservas, UFRGS/Divulgação)

Cervo encontrado em Porto Alegre se recupera de cirurgia e deve ser levado a Santa Maria (RS) na próxima semana

O cervo Otto, resgatado no último dia 15 vagando sozinho pela avenida Otto Niemeyer, em Porto Alegre, se recupera de uma cirurgia de reconstrução do lábio inferior, no Hospital Veterinário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Otto se recupera bem e já se alimenta normalmente.

Segundo a chefe do setor de Fauna da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Thais Michel, assim que ele estiver em boas condições de saúde, o que deve acontecer na próxima semana, ele será transferido para o Criadouro São Braz, em Santa Maria.

O procedimento foi realizado na última segunda-feira (20), pela equipe do Núcleo de Conservação e Reabilitação de Animais Silvestres do hospital. “Pela gravidade da lesão, imagina-se que o animal pudesse estar ferido há alguns dias”, explica Thais.

Ainda não foi possível identificar a origem do cervídeo, cuja criação é proibida no Rio Grande do Sul, uma vez que ele não é nativo e é de espécie considerada invasora, ou seja, capaz de procriação caso seja solta na natureza. “Essas espécies representam uma ameaça à biodiversidade natural”, alerta Thais.

Isso porque podem se misturar com os animais nativos, provocar a ocorrência de parasitas e zoonoses e ainda portar doenças potencialmente perigosas ao homem e às florestas. Otto é da espécie Axis axis, originária da Ásia.

O animal, ao que tudo indica, estava sendo criado em cativeiro, e era acostumado com a presença humana. Diferentemente de outras espécies selvagens, ele foi dócil no contato com as pessoas que o recolheram, o que seria um indício de que convivia com seres humanos. Segundo a equipe de veterinários que atende Otto, ele pesa cerca de 50 quilos, considerado o peso padrão para a espécie.

Fuga pela água

Antes de Otto aparecer na avenida da Zona Sul, um cervo parecido já havia sido localizado pelas equipes da Sema, após uma ligação de um morador que o viu pela região da Zona Sul de Porto Alegre, próxima ao Guaíba. Porém conseguiu fugir, e de uma forma inusitada: o cervídeo pulou na água e saiu nadando, para a surpresa de todos.

Apesar da probabilidade de que o animal que era procurado pelo órgão estadual tenha sido Otto, é impossível afirmar com certeza porque ele não tinha nenhuma identificação.

Animal estava com a mandíbula machucada, e teve também o lábio inferior restituído pela equipe do Hospital Veterinário da UFRGS (Foto: Preservas, UFRGS/Divulgação)
Animal estava com a mandíbula machucada, e teve também o lábio inferior restituído pela equipe do Hospital Veterinário da UFRGS (Foto: Preservas, UFRGS/Divulgação)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.