Chifres radioativos podem ser ‘arma’ contra a caça ilegal de rinocerontes na África do Sul

Chifres radioativos podem ser ‘arma’ contra a caça ilegal de rinocerontes na África do Sul
Chifres com material radioativo podem desencorajar caçadores ilegais. Imagem: Shutterstock / Rocchas

Cientistas sul-africanos estão estudando maneiras de injetar material radioativo em chifres de rinocerontes. Embora pareça agressiva com os animais, a medida tem o objetivo de desencorajar a caça ilegal.

Os caçadores mataram pelo menos 249 rinocerontes na África do Sul no primeiro semestre deste ano, 83 a mais do que nos seis primeiros meses de 2020.

Os animais são abatidos por seus chifres, que são contrabandeados para a Ásia, onde são altamente valorizados para fins tradicionais e medicinais.

Material radioativo pode ajudar a detectar chifres de rinocerontes contrabandeados

Segundo James Larkin, pesquisador da Universidade de Witwatersrand, injetar uma pequena quantidade de material radioativo nos chifres de rinoceronte pode facilitar a fiscalização contra a ação criminosa.

Em evento virtual da Associação Nuclear Mundial, o especialista destacou que o material contrabandeado poderia ser identificado pelos mais de 11.000 detectores de radiação instalados em portos e aeroportos em todo o mundo. Além disso, agentes de fronteira também costumam ter detectores de radiação portáteis.

“Podemos aumentar radicalmente o exército de pessoas capazes de interceptar esses chifres … para desencorajar os contrabandistas”, explicou Larkin.

A proposta agora é determinar a dose apropriada de material radioativo que será injetada nos chifres. Um modelo de cabeça de rinoceronte será construído com uma impressora 3D para testar as doses antes que o teste mude para animais reais.

O programa, denominado The Rhisotope Project, tem o apoio da empresa nuclear russa Rosatom, além de pesquisadores dos Estados Unidos e da Austrália.

Por Jeniffer Cardoso

Fonte: Olhar Digital

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.