Chimpanzé órfão que seria vendido se recupera de trauma

Chimpanzé órfão que seria vendido se recupera de trauma
Foto: cortesia de Ian Bickerstaff 2017

Em setembro de 2017, a Ape Action Africa, uma organização que ajuda os primatas nos Camarões, confiscou um chimpanzé traumatizado e o levou ao Santuário Primata Mefou.

O pequeno animal estava assustado além da medida e não deixava ninguém se aproximar dele, mas depois de meses de cuidados compassivos ele fez um progresso incrível, não só com humanos, mas com seus companheiros primatas.

O chimpanzé, chamado Farah, vivia com um homem que o mantinha acorrentado

Foto: cortesia de LAGA 2017
Foto: cortesia de LAGA 2017

Através de uma operação conjunta entre o Ministério das Florestas e Vida Selvagem e da The Last Great Ape Organization, Farah foi resgatado do homem que tentava vendê-lo como animal de estimação. Farah, era, na época, um chimpanzé de 10 meses.

Quando o homem não estava caminhando com o chimpanzé em uma bolsa tentando vendê-lo, ele o mantinha acorrentado em sua casa.

O homem, mais tarde, confessou também ter matado a mãe de Farah.

Farah estava compreensivelmente muito nervoso e angustiado

Depois de seu resgate, Farah foi transportado quase 400 quilômetros para o Santuário Primata Mefou, onde ele recebeu todos os cuidados que precisava.

Quando chegou ao santuário, ele ficou assustado e muito tímido com todos ao seu redor.

“Cansado, com fome e ansioso, não é de se admirar que o pequeno Farah se recusou a confiar no nosso gerente, Babs, quando ele tentou levá-lo para a parte de trás do carro. Ou, mais tarde, quando nossa Diretora, Rachel, tentou colocar um cobertor em torno dele para que ele dormisse”, escreveu a Ape Action Africa em sua página do Facebook.

Levaram alguns dias para que Farah começasse a confiar nos humanos

Foto: cortesia de Ian Bickerstaff 2017
Foto: cortesia de Ian Bickerstaff 2017

No começo, o pequeno chimpanzé ficou assustado e não mostrava sinais de confiar naqueles que lhe ofereciam ajuda.

Em uma semana, aqueles no santuário começaram a notar uma diferença no comportamento de Farah. Lentamente, mas com segurança, ele começou a se abrir e confiar naqueles que desesperadamente queriam ajudá-lo.

“Neste momento, ele ainda é uma pequena alma cautelosa. Ele não está com vontade de ser pego [no colo] e de rir quando lhe fazem cócegas, mas ele escolhe se sentar com seus cuidadores – colocando uma pequena mão no joelho para mostrar que ele os reconhece como uma fonte de segurança e conforto. Pouco a pouco, seu mundo está se estabilizando e um dia, em breve, ele vai rir de novo.”

Finalmente, chegou a hora de apresentar Farah a outros chimpanzés que vivem no santuário

Quando Farah se sentiu confortável em meio aos seres humanos e expressou interesse em brincar, aqueles no santuário decidiram que, em breve, seria o momento de apresentar o jovem chimpanzé a outros chimpanzés.

Os cuidadores de Farah lentamente o apresentaram a três chimpanzés, que também chamam o santuário de lar.

Os amigos que formam este novo grupo gostam de brincar uns com os outros

Por sorte, Farah mostrou grande interesse em fazer amizade com os outros pequenos chimpanzés.

Depois de sobreviver a condições horríveis em tão tenra idade, Farah finalmente recebe o amor e o cuidado que merece.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.