Ciclista chinês e seu cão pedalam por 23 países para promover os direitos dos animais

Ciclista chinês e seu cão pedalam por 23 países para promover os direitos dos animais

Xiaoyu (e seu cão d’água espanhol, Harry) já pedalaram mais de 25.000 km.

Por Sarah Barth / Tradução de Roberta M. Bordin

Um ciclista e fotógrafo de animais de estimação chinês pedalou por 23 países em um ano – acompanhado por seu cão.

Ele alega que a viagem – e suas fotos – têm o propósito de promover os direitos dos animais.

Xiaoyu (e seu cão d’água espanhol, Harry) já pedalaram mais de 25.000km, visitando mais de 100 centros de resgate de animais.

Durante todo o tempo ele escreveu um livro, sendo que os eventuais rendimentos irão para centros de realojamento de cães.

Em 2012, Xiaoyu pegou seu cão adotado e começou a pedalar por Sichuan e Tibet, atravessando o planalto Qinghai-Tibet e chegando até ao monte Evereste e até mesmo ao Nepal.

Agora ele já cobriu a Ásia, Europa e América do Norte, conseguindo até atravessar os Estados Unidos inteiro, começando por Nova York, na Costa Leste, antes de finalmente parar em Los Angeles, no lado oposto, até finalmente voltar para casa, em Guilin.

No prefácio de seu novo livro, sobre seu cão Harry, ele diz: “Eu poderia ir mais longe, por sua causa. O presente mais precioso da vida não é o lindo cenário pelo caminho, mas sua companhia”.

Em 2012, nós relatamos o caso de um pequeno cão branco, que tornou-se uma improvável celebridade na internet depois de completar uma incrível façanha de resistência acompanhando um grupo de ciclistas de longa distância em toda a China.

Xiao Sa – “Little Sa” fez a viagem em três semanas, a pé/pata, seguindo uma equipe de ciclistas.

Várias reportagens descreveram os ciclistas que ela acompanhou como “participar de uma corrida para Lhasa, com um grupo de 300, que finalmente foi reduzido a seis ciclistas… e um cachorro”.

A jornada de Xiao Sa teve início quando ela foi descoberta por um estudante de 22 anos, Zhang Heng, que fazia parte de uma equipe de ciclismo de Kangding na província Chinesa de Sichuan para Llhasa, no Tibet, através do Planalto Qinghai-Tibet.

“Ela estava deitada, cansada, em uma rua de Yajiang, província de Sichuan,” disse ele. “Assim, nós a alimentamos, e então ela seguiu nossa equipe”.

“A gente sentiu que talvez ela quisesse ir com a gente, então decidimos levá-la conosco até o fim.” Disse Zhang.

Fonte: Road

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.