Cinomose, uma doença de inverno

Por Leonardo Maciel  

A cinomose é uma doença causada por um vírus que tem muitas similaridades com o sarampo humano. A doença está mundialmente distribuída e acomete não somente cães , mas também raposas, lobos-guará, leopardos, leões, furões, ursos, focas, golfinhos, além de muitas outras espécies .

Apesar de acontecer duramente todo o ano, no inverno geralmente há maior incidência. Os sintomas começam em torno de sete dias após o contato com o vírus e incluem diarréia sanguinolenta de curso rápido, secreção nasal e ocular purulentas, tosse, pneumonia, dor nos olhos por deficiência de produção de lágrimas e podem evoluir para convulsões, contrações involuntárias de grupos musculares, choro constante e compulsivo, confusão mental.

O diagnóstico clínico da cinomose pode ser difícil pois alguns sinais podem ser confundidos com os de outras doenças, então muitas vezes são necessários exames laboratoriais.

O tratamento para cinomose não é fácil e em uma porcentagem muito significativa dos casos ocorre o óbito, ou a eutanásia devido ao sofrimento. É uma doença altamente contagiosa, porque os doentes eliminam o vírus pela saliva, urina, fezes, secreções e o ser humano pode levar estes vírus de um animal a outro mesmo em casas diferentes, pela pele, roupas e calçados. Assim, se você teve contato com um animal com cinomose, deve trocar suas roupas e calçados, além de tomar um banho antes de ter contato com outros animais.

Os mais propensos são os filhotes, as grávidas, e os animais que estão com outras doenças debilitantes como leishmaniose e câncer. Estes últimos, mesmo vacinados podem contrair a cinomose.

Mas há boas notícias : existem vacinas de excelente qualidade que conferem proteção bastante significativa. Estas vacinas devem ser aplicadas por volta dos dois, três e quatro mese de idade, com reforço anual. As vacinas devem ser corretamente aplicadas e adequadamente estocadas para uma boa eficácia. Infelizmente estas vacinas não são oferecidas pelos órgãos de saúde pública ( apenas a vacina contra raiva é oferecida atualmente) uma vez que a cinomose não é considerada uma zoonose. Existem pesquisas sobre uma possível participação do vírus da cinomose em patologias humanas como a Esclerose Múltipla, a Doença de Paget e a Pancefalite Esclerosante, mas não conclusivas. A cinomose, quando não mata, pode deixar sequelas terríveis como paralisia e convulsões frequentes. Uma vacina anual evitaria muito sofrimento. Se você conhece alguém que não tenha condições , promover uma vacinação solidária salvaria não somente aquela vida em questão, mas muitas outras ao redor.

A cinomose tem adquirido importância mais ampla porque a colonização humana tem atingido cada vez mais as florestas e a doença tem acometido muitas outras espécies como lobos e raposas, podendo colaborar para a extinção destas espécies.

O importante então é agir responsavelmente com nossos animais e manter o cartão de vacinas sempre atualizado. Sempre que formos passear em áreas rurais , cachoeiras e caminhadas ecológicas, seria bom deixar os cães com amigos ou parentes, pois cães saudáveis podem eliminar o vírus nas fezes e promover contaminação ambiental, afinal, a nossa responsabilidade com os outros seres do planeta vai além do que está ao alcance da nossa visão. 


{article 957}{text}{/article}

Olhar Animal – www.olharanimal.org


 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.