Cirurgias de castração em unidades municipais do Rio estão suspensas até abril

Cirurgias de castração em unidades municipais do Rio estão suspensas até abril

Cirurgias de castração em animais estão suspensas em unidades de saúde veterinária no Rio para evitar aglomerações. A suspensão, que vai até 13 de abril, se entende a todas as cirurgias eletivas.

A determinação é uma das medidas de enfrentamento contra o novo coronavírus. A medida foi anunciada nesta sexta-feira (20) pela Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses. (Confira outras mudanças no fim da reportagem) 

Segundo dados divulgados pela secretaria, cerca de 2.500 castrações são feitas por mês e mais de 500 pessoas são atendidas diariamente no Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, em São Cristóvão, na Zona Norte, e no Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho, em Santa Cruz, na Zona Oeste.

Alguns serviços para os animais têm funcionamento normal. O tratamento de esporotricose, que é a zoonose transmitida ao homem por animais, permanece nas duas unidades. Na clínica médica foi adotado um sistema de triagem, com prioridade para cirurgias de risco de morte.

Restrição

A Vigilância Sanitária proibiu a entrada de menores de 12 anos nas unidades veterinárias e reduziu a oferta de serviços para um animal por pessoa.

Os portões das unidades ficam fechados e só abrem após a liberação de acesso. São distribuídas por dia 20 senha.

Remoção

O serviço de remoção de animais de grande e médio porte nas ruas seguem normais, assim como o de carcaça de morcegos, micos e macacos. O atendimento na central 1746 também está normal.

Outras mudanças

Castração

  • Número de senhas para o agendamento de castrações e remarcações foi reduzido de 90 para 20 por dia;
  • Marcações de datas podem ser realizadas a partir de 20 de maio.

Clínica médica

  • Atendimento apenas de emergências e por triagem.

Clínica de esporotricose

  • Tratamento normal, com itraconazol em estoque para os próximos 90 dias. 

Cirurgias agendadas

  • Remarcações das cirurgias podem ser realizadas a partir de 20 de maio.

Atendimento 1746

  • Atendimento a animais agressores e investigações caninas para leishmaniose são avaliados.

     Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.