Cobra é resgatada em posto do Na Hora, em Sobradinho, DF

Cobra é resgatada em posto do Na Hora, em Sobradinho, DF

Por Douver Barros

Funcionários do posto do Na Hora, em Sobradinho, se depararam com uma cobra coral ao chegarem para trabalhar, por volta das 8h desta quinta-feira (28). O animal mede aproximadamente 50cm e estava no chão da copa, o que levou os trabalhadores a acreditar que o réptil havia saído de em um armário velho, que fica debaixo da pia.

“Tínhamos acabado de chegar. Foi um susto. Ninguém nunca esperou se deparar com um animal como esse por aqui”, relata a analista de política públicas de gestão governamental, Daniele Silva. No momento do susto, funcionários da limpeza se encarregaram de capturar o animal, que ficou em poder do administrador do shopping, onde o posto está localizado.

Conforme as orientações do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), a população deve evitar a captura ao se deparar com animais silvestres, ainda que sejam filhotes ou de pequeno porte. “Ao tentar manusear, o animal pode se tornar agressivo e acontecer um acidente. Nesses casos, o melhor a fazer é chamar uma equipe preparada”, alerta o tenente Moreira Vaz. De acordo com ele, muitos animais aparecem em áreas urbanas devido ao avanço das construções em espaços rurais. No caso da cobra encontrada no Na Hora, Moreira afirma que existe a possibilidade de o animal ter se reproduzido no local.

“Analisamos o mapa da localidade onde o animal foi encontrado. Fica longe da área que chamamos de vegetação rural. Pode ser que tenha se originado ali, não podemos dar certeza”, ressaltou. Para evitar surpresas a população deve evitar acumular lixo e entulho uma vez que a sujeira atrai ratos e insetos e por sua vez os predadores. “O cuidado com a limpeza é essencial para que esses animais fiquem longe da população”, recomendou o tenente.

Em casos como este, a recomendação é acionar o batalhão pelos telefones 190 ou 3910-1965.

Fonte: Jornal de Brasilia

Mais notícias 

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.