Coligação potente de investidores formada para trazer carne à base de vegetais e ‘limpa’ para a China

Coligação potente de investidores formada para trazer carne à base de vegetais e ‘limpa’ para a China
Imagem: Capri23auto/Pixabay

Ótimas notícias! Uma nova coligação de investidores foi lançada para trazer mais carne à base de vegetais e feitas em laboratório (ou “carne limpa”) para a China.

A coligação com sede em Toronto, a Dao Foods International Inc., foi cofundada pela organização sem fins lucrativos Good Food Institute e inclui grupos de capital de risco como Dao Ventures, Moonspire Social Ventures e New Crop Capital.

Esta nova iniciativa vem no momento certo, considerando que a China consome mais de um quarto de toda a carne do mundo, incluindo metade da carne suína. Essa alta demanda por carne deve aumentar à medida que a população mundial continue crescendo, com uma estimativa de 9,8 bilhões de pessoas no planeta até 2050. Infelizmente, por causa das falhas no nosso sistema alimentar atual, que prioriza o cultivo de ração animal antes da alimentação humana, quase um bilhão de pessoas sofre atualmente com a fome em todo o mundo. Dada a forma como a pecuária industrializada é um dos principais impulsionadores da mudança climática global, as alternativas à carne, como carne à base de vegetais e carne produzida em laboratório, podem ajudar a mudar nosso sistema alimentar para um sistema mais sustentável, permitindo que alimentemos mais pessoas e protejamos nossa terra e recursos hídricos em declínio.

Felizmente, a China está tomando medidas proativas para tornar seu sistema alimentar mais sustentável. No ano passado, o país assinou um acordo comercial de “tecnologia limpa” de US$ 300 milhões que permitiria que eles importassem de Israel as tecnologias de carne produzida em laboratório. O governo chinês também divulgou um novo conjunto de diretrizes alimentares que têm o potencial de ver o consumo de carne no país cair em 50%.

Segundo o International Trade Center, as importações chinesas de carne foram avaliadas em mais de US$ 10 bilhões em 2016, o que significa que as alternativas de carne têm um mercado massivo para interceder no país. E agora, com essa nova coligação que planeja fornecer soluções baseadas em vegetais para compensar o consumo de carne, provavelmente veremos ainda mais progresso no espaço alternativo da carne.

“Com o rápido aumento da renda e do consumo de carne na China, nosso objetivo é introduzir produtos alternativos no mercado chinês para reduzir a demanda dos consumidores por produtos animais da indústria pecuária tradicional, que tem tido um impacto ambiental, de segurança alimentar e de saúde cada vez mais negativo”, disse Albert Tseng, cofundador da Dao Foods e diretor administrativo da Moonspire Social Ventures.

Tem alguma pergunta sobre a carne limpa? Em um episódio recente de #EatForThePlanet com Nil Zacharias, Bruce Friedrich, diretor executivo do Good Food Institute (GFI) e sócio fundador da New Crop Capital, explica a pesquisa que está em andamento no espaço da tecnologia de alimentos para tornar possível a carne limpa e discute os detalhes relacionados a como as empresas e os cientistas estão criando proteínas baseadas em vegetais que podem imitar perfeitamente a carne.

#EatForThePlanet

Por  Michelle Neff / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: One Green Planet 


Nota do Olhar Animal: Grande parte das pessoas se preocupa com clima, com recursos hídricos, com questões que possam afetar os humanos e, mesmo nesta questão da carne, os animais são preocupação secundária. É lamentável que isto ocorra, que as pessoas não percebam o quanto injusto é explorar um animal não humano. Se não está havendo uma mudança de paradigmas éticos, a preocupação dos humanos apenas com a própria sobrevivência os está levando a buscar alternativas para a insustentável produção de carne baseada na criação e morte de animais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.