Com aumento da população de ursos negros, Flórida pode permitir a caça

Com aumento da população de ursos negros, Flórida pode permitir a caça

Por Jason Dearen / Tradução de Alana Carvalho

EUA florida ursos1

JACKSONVILLE, Flórida. – Com a população de ursos negros da Flórida se recuperando de uma quase extinção, confrontos com seres humanos estão em ascensão e o estado agora considera liberar uma temporada limitada de caça como parte da solução para o problema.

A Florida Fish and Wildlife Conservation Comission não chegou a uma decisão na semana passada, mas pareceu receptiva à idéia, arrancando aplausos de caçadores e provocando a ira de defensores dos direitos dos animais. Caso seja aprovada, esta será a primeira vez, desde 1994, que a caça do urso é legalizada no estado.

“Naquele momento, era hora de parar a prática da caça aos ursos e eu acho que, agora, é apropriado começarmos a caçá-los novamente”, disse Thomas Eason, diretor de habitat e conservação das espécies da Comissão, diante de uma sala de conferência em Jacksonville repleta de caçadores e conservacionistas.

Nos Estados Unidos, 32 dos 41 estados com onde existem ursos permitem a caça como forma de controle populacional. Segundo Eason, a Flórida é o único estado com mais de 1.000 ursos que não permite nenhuma modalidade de caça.

A população de ursos negros vem se recuperando desde o Panhandle até a Reserva Nacional Big Cypress, perto de Miami. Em 1974, havia entre 300 e 500 ursos. Agora, acredita-se que sejam mais de 3.000.

No ano passado, houve quatro ataques a pessoas. As ligações para a guarda florestal a respeito de ursos cresceram 400 por cento ao longo da última década. As mortes de ursos por veículos também estão em ascensão: Em 1990, 33 foram mortos, em comparação com os 285 em 2012, de acordo com dados do estado.

O número de pessoas no estado também aumentou. A Flórida é o terceiro estado mais populoso dos Estados Unidos. Os ursos são habilidosos para encontrar alimentos, e as pessoas facilitam a busca ao descartar restos de comida em latas de lixo desprotegidas, dizem as autoridades.

O mais recente ataque ocorreu em 20 de dezembro, no Panhandle. Uma menina de 15 anos que passeava com seu cachorro foi atacada. Ela sofreu cortes na cabeça e no rosto, além de arranhões e mordidas nas costas, braço e perna.

Fonte: SunHerald 

Nota do Olhar Animal: Pouco se lixam para a vida dos animais, matam-nos com uma naturalidade que parece patológica. O pretexto, em muitos casos, é o do controle da população, expondo sua incompetência para gerenciá-la de forma eticamente aceitável. Na Flórida, as possíveis vítimas serão os ursos, por conta do confronto destes com humanos, que por sua vez não fazem o mínimo para gerenciar seu lixo e evitar a proximidade. Matar é mais prático…

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.