Comércio de animais: Boeing 767 ucraniano pousa com 38 filhotes de cães mortos a bordo

Comércio de animais: Boeing 767 ucraniano pousa com 38 filhotes de cães mortos a bordo

A Agência Canadense de Inspeção Alimentar (CFIA) diz que está investigando depois que 38 filhotes de cachorro chegaram mortos ao aeroporto de Toronto na manhã do sábado passado, a bordo de um Boeing 767-300 da Ukraine International.

Uma investigação foi iniciada depois que centenas de animais chegaram em um voo da Ukraine International Airlines na semana passada, muitos deles desidratados ou doentes, além de 38 animais mortos. Segundo o National Post, o voo PS1241 levava cerca de 500 filhotes trazidos da Ucrânia, muitos dos quais estavam doentes à chegada, segundo a CFIA.

“Na chegada, muitos dos cães estavam sofrendo de desidratação, fraqueza e vômito”, disse um porta-voz da CFIA na sexta-feira.

Ainda na sexta-feira (19), a Ukraine International Airlines divulgou um comunicado em sua página no Facebook dizendo que oferece condolências pela “trágica perda de vida animal” em seu voo. “A UIA está trabalhando com as autoridades locais para determinar o que aconteceu e fazer as alterações necessárias para impedir que essa situação ocorra novamente”.

Everyone at UIA offers its condolences for the tragic loss of animal life on our flight. UIA is working with local…

Julkaissut Fly UIA Perjantaina 19. kesäkuuta 2020

Segundo o Global News, a empresa aérea chegou a postar uma segunda mensagem no Facebook, mas apagou horas depois, ela dava alguns detalhes extras da operação, falando da quantidade de animais e mencionando que “por muitos anos transporta animais para fins comerciais para outros países, incluindo os EUA e o Canadá, e que é submetida regularmente a uma auditoria de qualidade e segurança da IOSA, cujos padrões regem o transporte de animais vivos de maneira muito estrita e rigorosa”.

Uma fonte do National Post cita que “havia cerca de 500 animais no total, 200 deles bulldogs franceses, que foram levados para transporte no voo Borispil-Toronto, incluindo 300 gaiolas, o que significa que algumas gaiolas continham dois cães”, disse.

Ainda não está claro qual seria o destino dos animais, mas as pistas indicam que eles seriam comercializados no Canadá. Agora, a empresa aérea será investigada pela CFIA, assim como os responsáveis pela exportação e importação dos animais.

Certamente, uma história que não se ouve todos os dias e que merece atenção das autoridades.

Por Carlos Ferreira

Fonte: AeroIn

Você faz questão de um cão de raça? Pense duas vezes…

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.