Comissão dos Direitos dos Animais da OAB/MS visita 100 abrigos em Campo Grande

Comissão dos Direitos dos Animais da OAB/MS visita 100 abrigos em Campo Grande

Desde 2022, a Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da OAB/MS vem realizando pesquisas acerca da situação da causa animal na capital, de forma voluntária. Com mais de 4 mil km percorridos pelos advogados, foram feitas visitas sociais nos abrigos, e entrevistas a um total de 100 Protetores de Animais.

A Pesquisa de Campo foi realizada pelos advogados Adriana Carvalho, Charlita Benítez, Gustavo Scuarcialupi, Giselle Ottoni, Alesca Bernarde, Sofia Veríssimo, Júlia Zamignan, Larissa Roskozv, Caio Moura, Larissa Estácio, Jayme Magalhães, Giovana Molinedeo, Matheus Menezes, Marlene Ferraz, Nayander e Gabriely Machado.

De acordo com a Presidente da Comissão Adriana Carvalho: “a nível nacional, é um trabalho inédito e pioneiro da comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da OAB/MS. Iniciamos os trabalhos com o intuito de trazer visibilidade à problemática da causa animal enfrentada pelos protetores de animais, no entanto fomos muito além do compromisso voluntário assumido, nossa pesquisa subsidia o Executivo, Legislativo e o judiciário por meio da ação civil pública promovida pelo ministério público. Entre outras informações que nenhum outro banco de dados possui. Contabilizamos mais de 5 mil animais resgatados das ruas e de crimes de maus-tratos que são mantidos apenas com recursos dos Protetores de animais e doações da sociedade”.

As informações obtidas por meio da Pesquisa subsidia o Ministério Público, autoridades legítimas e responsáveis pelo Bem Estar Animal em busca de Políticas Públicas eficientes que garantam o Direito dos Animais.

A pesquisa é de Direito Autoral dos Advogados membros da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da OAB/MS gestão 2022/2024, e terá continuidade para todo o estado por meio do Instituto de pesquisa científico jurídico de Proteção Pet, Instituto Adriana Carvalho.

Comissão dos Direitos dos Animais da OAB/MS visita 100 abrigos na Capital

Fonte: OAB Mato Grosso do Sul