Comunidade de olho nas corujas do bairro Morsch, em Venâncio Aires, RS

Comunidade de olho nas corujas do bairro Morsch, em Venâncio Aires, RS

Por Guilherme Siebeneichler

RS venancioaires 13543555727126 f

A comunidade está de olho nas corujas que escolheram o bairro Morsch para fixar residência. As aves receberam, há mais tempo, de presente casas de proteção e por ali, a população é aliada nos cuidados aos animais. Os cuidados garantidos, demostram a parceria entre comunidade e meio ambiente, buscando manter o crescimento da espécie.

Com a ampliação das áreas urbanas, os espaços para os animais silvestres foram também ocupados. Em Venâncio Aires um caso de adoção pela comunidade, de respeito e proteção garante, ao menos em parte, a continuidade e crescimento de espécies protegidas. É o caso de dois casais de coruja-buraqueira (Athene cunicularia), que construíram ninho em um terreno na rua 1º de Março, no bairro Morsch.

O local foi protegido pelos moradores com casinhas especiais, também para garantir mais proteção as aves e afastar os curiosos. Segundo a bióloga da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Gabriela Graef, a identificação do espaço é fundamental para evitar a aproximação das pessoas, especialmente porque o local escolhido pelas corujas está próximo a estrada e também em área residencial. ‘É uma forma de proteção, nos campos e matas não é necessário identificar os ninhos, porém como as pessoas se aproxima muito, o cuidado da comunidade com estes animais é fundamental.’

Gabriela destaca que a proteção tem garantido a permanência das aves no mesmo local, a pelo menos dois anos. ‘Essa segurança a mais que elas receberam é importante e tem gerado retorno, já que não abandonam o local. Isso demostra que estão adaptadas ao terreno e não precisam abandonar os ninhos,’ comenta.

PROTEÇÃO

Segundo a profissional, a conscientização da população está garantido o aumento populacional de espécies protegidas. ‘A coruja tem mais facilidade em conviver com os humanos, a presença destes animais em áreas urbanas é reflexo de uma maior conscientização e diminuição da caça. Aliado a isso está a educação ecológica, que tem sido mantida nas escolas e agrega conhecimento nas crianças e novas gerações,’ argumenta.

RS venancioaires 20493-corujas morsch

Fonte: Folha do Mate

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.