Concessionária de rodovias passa a integrar projeto de proteção a animais silvestres

A CART – Concessionária Auto Raposo Tavares, com o apoio do Instituto Invepar, passou a integrar o Projeto Malha, iniciativa que visa criar um banco de dados sobre a presença de animais silvestres nas rodovias e, a partir dele, sugerir políticas públicas que reduzam os atropelamentos, como a construção de passagens de fauna. A concessionária irá enviar mensalmente ao Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, da Universidade Federal de Lavras (MG), responsável pelo projeto, informações importantes para alimentar o banco de dados: quais e quantos foram os animais silvestres avistados ou afugentados às margens da pista, os recolhidos feridos e os recolhidos mortos ao longo dos 444 quilômetros de rodovias que administra, entre Bauru e Presidente Epitácio. Os dados seguirão com a localização (quilômetro da rodovia e o município) exata dos avistamentos, afugentamentos e recolha de cada um dos animais, bem como o horário da ocorrência. “Estes dados vão somar-se aos informados por outros órgãos, entidades, empresas e pela população em geral, que também pode participar usando o aplicativo de celular chamado Urubu Mobile, e serão importantes para que os pesquisadores tenha um retrato mais fiel o possível do impacto das rodovias na fauna e proponham medidas mitigatórios”, explica Osnir Giacon, coordenador de Meio Ambiente da CART.Quando um animal não for de imediato identificado, a Concessionária enviará também a foto dele na tentativa de que os pesquisadores o identifiquem.

Entre setembro de 2013 e setembro de 2014, a CART, em seu serviço de inspeção, que é realizado 24 horas nas rodovias que administra, recolheu 21 animais silvestres feridos e 544 animais mortos sobre as faixas de rolamento ou na faixa de domínio com sinais de que foram vítimas de atropelamento. Os mais frequentes são capivara, cachorro-do-mato, tatu e tamanduá. A estimativa do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas é que anualmente 475 milhões de animais morrem atropelados nas rodovias em todo o Brasil, mais de duas vezes a população humana do País. Este número significam 1,3 mil animais mortos nas estradas por dia e 15 a cada segundo.

Fonte: O Carreteiro

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.