Condenados 32 por tráfico de vida selvagem no leste da China

Condenados 32 por tráfico de vida selvagem no leste da China

Trinta e duas pessoas foram condenadas a até 13 anos de prisão por tráfico de animais ameaçados de extinção na Província de Zhejiang, no leste da China.

Os condenados foram considerados culpados de tráfico de animais selvagens no valor de 100 milhões de yuans (US$ 15,2 milhões), incluindo pangolins, garras de urso e salamandras, em 10 províncias e cidades, anunciou na terça-feira o tribunal popular distrital de Yongjia.

No julgamento, o principal acusado, de sobrenome Kan, recebeu pena de prisão de 13 anos e multa de 130 mil yuans. Outros quatro foram condenados a mais de 10 anos de prisão e a esposa de Kan, seis anos.

O resto foi condenado a penas de prisão suspensas entre quatro meses e três anos.

Mais de 10 dos acusados são donos de restaurantes e clubes que compraram as partes de animais e as processaram como alimentos, segundo o tribunal.

A polícia local descobriu o caso no ano passado após confiscar mais de 1,5 mil animais selvagens em uma batida.

Pangolins, que estão sob a proteção do Estado de segundo nível na China, são contrabandeados com frequência porque sua carne é considerada uma iguaria e acredita-se que suas escamas são eficazes no tratamento de doença cutânea, entre outras.

Sob a lei penal da China, quem capturar, matar, comprar ou vender ilegalmente animais selvagens em risco de extinção incluídos na lista de proteção do Estado podem enfrentar mais de 10 anos de prisão e multas.

Fonte: Diário do Povo

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.