Congresso espanhol decide que cães não podem ter rabos cortados por estética

Congresso espanhol decide que cães não podem ter rabos cortados por estética
Congresso espanhol decide que cães não podem ter rabos cortados por estética (Foto: Susana Vera/Reuters)

O Congresso dos Deputados da Espanha ratificou nesta quinta-feira (16), por unanimidade, o Convênio Europeu de Proteção Animal de 1987, que proíbe, entre outras práticas, a amputação do rabo dos cachorros por motivos estéticos e a extirpação das unhas nos gatos.

Os deputados apoiaram com 30 anos de atraso a adesão definitiva da Espanha a esse Convênio, que estabelece os princípios básicos para a proteção dos animais, como limitar seu uso em publicidade e espetáculos e proibir as amputações por razões que não sejam de saúde.

O plenário debateu esta ratificação e, com ela, a polêmica questão sobre o rabo dos animais. A emenda aprovada foi apresentada pela coalizão de esquerda Unidos Podemos contra esta prática, frente à exceção que o governo conservador tinha incluído no texto do Convênio para permitir a amputação do rabo dos cães de caça.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: No Brasil a prática é proibida por um decreto-lei de 1934, porém por décadas conselhos de veterinária e autoridades públicas fizeram vistas grossas para a situação.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.