Conheça a ativista de 14 anos que faz campanha para que alimentos veganos sejam disponibilizados nas escolas de Los Angeles, EUA

Conheça a ativista de 14 anos que faz campanha para que alimentos veganos sejam disponibilizados nas escolas de Los Angeles, EUA

Por Lauren Kearney / Tradução de Luciane Sarti

EUA LosAngeles ativista campanha alimentos veganos

Enquanto outros adolescentes passam seus dias pendurados em seus iPhones, atualizando o status no Facebook e tirando selfies, uma garota está tentando fazer com que as escolas de Los Angeles adotem mais opções de origem vegetal.

Lila Copeland, uma ativista vegana de 14 anos da Califórnia, defende os animais praticamente desde a época em que usava fraldas. Vegetariana de nascimento, Lila se tornou vegana aos 10 anos de idade e, desde então, ela se sente na obrigação de inspirar outras pessoas a fazerem o mesmo, por questões de saúde, pelos animais e pelo meio ambiente.

Criação da Earth Peace Foundation

EUA LosAngeles ativista campanha alimentos veganos2

Lila também tinha 10 anos quando iniciou a Earth Peace Foundation (EPF, Fundação pela Paz na Terra). Ela contou ao site One Green Planet que tinha como objetivo criar uma fundação educacional centrada na divulgação de conhecimentos sobre “a crueldade com os animais em fazendas industriais, a crueldade do abate, a viabilidade de se levar uma vida vegana e o quanto isso é importante para o planeta”.

Embora Lila tenha participado de muitos protestos contra fazendas industriais, passeatas pedindo a transparência em relação aos alimentos transgênicos e trabalhado para obter a aprovação do Prop 37 “California’s Right to Know” Act (Proposta de lei para que alimentos transgênicos sejam rotulados), seu projeto mais recente para difundir o conhecimento sobre como os alimentos de origem vegetal podem melhorar o planeta começou, na verdade, em sua própria escola.

Inspiração no refeitório

Um dia na escola, Lila observou o que as crianças estavam comendo, coisas como hambúrgueres, sanduíches de queijo, nuggets de frango e leite, e se deu conta de que esses itens além de não serem escolhas saudáveis, pareciam ser as únicas opções disponíveis. Quando percebeu que não havia outras opções, ela sabia o que deveria fazer. Assim, nasceu a Healthy Freedom Campaign (Campanha pela Liberdade Saudável).

Como vegetariana desde o nascimento e vegana há quatro anos, Lila conhece muito bem os benefícios para a saúde de uma dieta repleta de alimentos de origem vegetal. Por ser uma atleta olímpica da categoria júnior em corrida de longa distância e uma ávida surfista, Lila pode comprovar o aumento de energia proveniente do consumo de vegetais. Tendo isso em mente, ela esperava ensinar às outras crianças a fazer escolhas melhores e ajudar o sistema escolar a fornecer opções melhores, mas não se contentou apenas com o refeitório da própria escola.

O poder da uma alimentação de origem vegetal

EUA LosAngeles ativista campanha alimentos veganos3

No dia 14 de junho de 2016, Lila falou ao conselho do Los Angeles Unified School District (LAUSD, Distrito Escolar Unificado de Los Angeles) para pedir que alimentos veganos saudáveis sejam disponibilizados nos cardápios escolares todos os dias da semana. E com ela, vieram a atriz Pamela Anderson, o médico Michael Klaper (que participa do documentário Cowspiracy), o atleta Torre Washington e diversos outros renomados especialistas em saúde para falar no evento inicial. Juntos, eles apresentaram estudos científicos aos membros do conselho que mostravam como derivados do leite e da carne podem causar doenças do coração, diabetes tipo 2 e câncer. Apenas para comprovar o quanto a comida vegana é boa, eles também distribuíram deliciosas amostras de comidas quentes entre o conselho e, como contou Lila, “todos ficaram muito impressionados”.

A partir desse dia, o conselho se abriu para discussão com Lila e o resto do time. “Três membros do conselho apoiam a iniciativa”, diz Lila. “Eles não podem confirmar, mas dá para perceber pela forma como reagem às informações”. Em notícias mais positivas, os membros do conselho estão dispostos a se reunir com a adolescente, o que é, nas palavras de Lila, “um avanço importante”.

Lila não está apenas fortalecendo seu distrito como também, com as notícias sobre esse evento, ela inspirou outros adolescentes a se aproximarem e descobrirem como podem ajudar.

O futuro dos alimentos nas escolas

Lila conta que seu objetivo é fazer com que essa resolução seja votada até meados de outubro para que opções de origem vegetal sejam disponibilizadas nos cardápios escolares do LAUSD até o início do segundo trimestre do próximo ano. No entanto, Los Angeles não é o único distrito no qual ela está atuando. Não, ela é muito mais ambiciosa que isso. Lila deseja ver a Healthy Freedom Campaign implementada em nível nacional até 2020. Será um passo de cada vez, conta a garota.

“Começamos com um distrito grande e influente como Los Angeles”, conta a adolescente. “Se eles aprovarem a resolução e colocarem alimentos veganos na mesa, ninguém mais poderá dar desculpas. Após essa conquista, passarei a atuar em nível estadual”.

Conselho de um adolescente para outro

Sob o ponto de vista de alguém de fora, a jornada de Lila pode parecer fácil. Entretanto, seus êxitos não vieram sem dificuldades, especialmente pelo mais óbvio: sua idade.

“Sobre as pessoas com quem contatei para obter ajuda no evento inicial, acho que foi mais difícil porque sou apenas uma criança comum, não uma criança famosa ou filha de algum famoso”, relata Lila.  “Recebi muitos “nãos” dessas pessoas”.

Apesar de todas as negativas, Lila não se desanimou e encoraja outros adolescentes a “nunca desistir”, mesmo quando as coisas não saem como o planejado.

“Tenha como objetivo enfrentar 100 negativas antes de obter uma resposta positiva”, aconselha a garota. “Se cansar, é só pensar nos animais que estão sendo mortos a cada minuto de cada hora de cada dia, todos os dias, e você terá forças para continuar”.

Veja mais informações sobre o incrível trabalho de Lila acessando o site da Earth Peace Foundation e curtindo a página da adolescente no Facebook.

Fonte: One Green Planet

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.