Conheça esta incrível mulher que devotou 50 anos de sua vida à criação de elefantes órfãos

Conheça esta incrível mulher que devotou 50 anos de sua vida à criação de elefantes órfãos

Não há nada mais majestoso que a visão de uma manada de elefantes correndo livremente e levantando suas trombas em triunfo.  Infelizmente, devido à caça furtiva pelo marfim e ao desmatamento, esta visão está se tornando cada vez mais rara por toda a África.

Consequentemente, é mais comum encontrar elefantes órfãos e sozinhos.  O único modo de um bebê elefante ser deixado para trás é ter sua mãe capturada ou morta.  Como os humanos, os elefantinhos dependem de suas mães para obter alimento e proteção durante os primeiros anos de vida.  Quando os elefantes ficam órfãos, suas chances de sobrevivência são muito baixas – em adição à tragédia que é a atual crise da caça.

Nos últimos 50 anos, Daphne Sheldrick tem ajudado os elefantes órfãos em sua casa em Nairobi, Quênia.  Neste trecho do documentário Wisdom of the Wild (Sabedoria da Natureza), de Allison Argo, vemos Daphne bem à vontade.  Ela já criou dúzias deles ao longo dos anos, enquanto cuidava também de sua família humana, e diz que aprendeu muito sobre maternidade neste processo.

Elefantes assumem seus filhotes durante quase dois anos, e estes criam fortes laços sociais com toda a manada desde seu nascimento.  Tudo isto é muito importante quando se tenta cuidar de bebês elefantes órfãos, que podem morrer facilmente por falta de apoio emocional.

Este vídeo nos convida a pensar sobre a importância da família e do amor na vida de um elefante. Ele também nos leva a questionar a moralidade de manter cativos animais tão inteligentes em circos e zoológicos, rompendo a delicada união de sua família em nome do entretenimento.

Para saber mais sobre Daphne Sheldrick e a organização que sua família fundou, a David Sheldrick Wildlife Trust, clique aqui.

Por Latrice Harrison / Tradução de Sônia Zainko

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.