Coordenadoria de Bem-Estar Animal atua em caso de maus-tratos em Petrópolis, RJ

Coordenadoria de Bem-Estar Animal atua em caso de maus-tratos em Petrópolis, RJ

RJ petropolis belinha1

Na noite desta última quarta-feira (13), um caso de maus-tratos a uma cadela de aproximadamente quatro anos chocou a equipe da Coordenadoria de Bem-Estar Animal, órgão ligado à Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. O animal, chamado de Belinha, teve 40% da pele do corpo retirada e as orelhas decepadas. O crime foi denunciado pela tutora da cadela e o suspeito, que é seu ex-marido, está detido na 105º Delegacia de Polícia.

“Fiquei em choque quando vi a cachorrinha. Não acreditei que uma pessoa tivesse coragem de fazer isso. É muita crueldade”, disse a coordenadora do Bem Estar Animal, Rosana Portugal, que foi acionada por moradores. A cadela foi levada para uma clínica particular, onde passou por cirurgia. Seu estado de saúde é considerado grave. “O que aconteceu com a cadelinha comoveu a todos. Ela precisa de cuidados e de ajuda, quem puder colaborar pode entrar em contato com a clínica pelo telefone (24) 2249-1822”, disse o proprietário da veterinária, Farlen Macieira.

Na casa onde a cadela morava, no bairro Duarte da Silveira, há outros 17 animais e todos estão para adoção. “A dona da casa já saiu do local e apenas o ex-marido e ela tinham acesso à residência. Temos, agora, que encontrar um lar para os outros animais que lá estão”, disse Rosana. Para a coordenadora, a ajuda do delegado da 105º DP foi essencial para a detenção do suspeito. “O delegado Alexandre Zieh tem sido um grande parceiro. Foi graças ao empenho dele que conseguimos levar o suspeito até a delegacia”, contou.

O delegado explicou que o suspeito foi preso com base na Lei Maria da Penha, por ter ameaçado a ex-esposa. “Se confirmado que foi ele que cometeu essa atrocidade com a cachorrinha, ele responderá processo pelo crime de maus-tratos”, disse.

Denúncias de maus-tratos a animais podem ser feitas diretamente à Coordenadoria do Bem-Estar Animal, pelo telefone 2246-9140.

Fonte: Acontece em Petrópolis

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.