Coreia do Sul lançará força-tarefa para proibir carne de cachorro

Coreia do Sul lançará força-tarefa para proibir carne de cachorro
Imagem: Sasha Sashina/Unsplash

No dia 25 de novembro, a Coreia do Sul anunciou que planeja criar uma força-tarefa para considerar a proibição do consumo de carne de cachorro. Este anúncio foi feito depois que o Presidente da Coreia do Sul mostrou consideração em acabar com a prática cruel.

Os restaurantes que oferecem pratos de carne de cachorro estão se tornando mais raros, pois a geração mais jovem mostra pouco interesse nesse tipo de carne. O amor por cães de estimação também aumentou, levando muitos coreanos a abandonar a velha prática.

A força-tarefa seria uma associação de pessoas que forneceriam recomendações sobre como proibir efetivamente a carne de cachorro. Elas coletariam informações sobre o comércio dessa carne e também analisariam a opinião pública.

O primeiro-ministro Kim Boo-kyum, o segundo oficial do país, disse: “Como o número de famílias com animais de estimação aumentou rapidamente e o interesse público pelos direitos e bem-estar dos animais cresceu em nosso país, tem havido cada vez mais vozes dizendo que é difícil agora ver o consumo de carne de cachorro apenas como uma cultura alimentar tradicional. ”

O anúncio resultou em muito feedback de ativistas dos animais, e os criadores de carne de cachorro estão todos em alvoroço. Os ativistas dizem que essa é apenas mais uma tática de paralisação que não resultará na proibição da carne, enquanto os criadores afirmam que é apenas uma formalidade.

Esperançosamente, a Coreia do Sul colocará suas palavras em prática e realmente começará a tomar medidas para proibir o consumo de carne de cachorro. É uma prática terrivelmente cruel que deveria ser ilegal em qualquer lugar.

Assine esta petição para instar o governo da Coreia do Sul a criar programas para fazer a transição dos criadores de carne de cachorro para indústrias mais éticas e proteger todos os cães!

Por Abigail Jane / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.