Coronel Domingos Soares (PR) registra a morte de mais seis macacos

Coronel Domingos Soares (PR) registra a morte de mais seis macacos
Macaco morto encontrado em estado avançado de composição. Crédito: Divulgação

Ao todo, 14 animais mortos foram encontrados no Município. A suspeita é de a causa seja febre amarela, no entanto, confirmação só será possível após resultados de exames laboratoriais.

Na sexta-feira (6), dois dias após ter registrado o aparecimento de quatro macacos mortos em propriedades rurais do Município, o Departamento de Saúde de Coronel Domingos Soares informou a morte de mais seis macacos. De 28 de outubro até a última sexta, ou seja, em um período de dez dias, 14 macacos mortos foram encontrados no município.

De acordo com o biólogo da 7ª Regional de Saúde, Miguel Rotelok Neto, o resultado do exame sorológico, dos materiais coletados e encaminhados ao Laboratório Central do Estado (Lacen), ainda não ficou pronto. A expectativa é que uma prévia dos resultados seja liberada até sexta-feira (13). Segundo Rotelok Neto, o caso só pode ser avaliado como surto após o resultado laboratorial.

O biólogo contou ainda que nenhum dos animais mortos encontrados no município possuíam indícios de agressão. Porém, ele explica que apenas uma necrópsia conseguiria identificar se a causa da morte foi o ataque de outro animal ou de um humano. “Considerando as circunstâncias em que eles foram encontrados, o número de animais mortos no mesmo local e o histórico de circulação viral na região, temos fortes suspeitas de que esses animais morreram em decorrência da febre amarela. A confirmação, no entanto, apenas quando do retorno dos laudos do Lacen”, explicou contando que os animais encontrados são todos do gênero Alouatta sp. — popularmente conhecidos por Bugio.

Mapeamento da doença

O Município de Coronel Domingos Soares se limitou a falar sobre o caso, apenas por uma nota, emitida, ainda na sexta-feira, pelo Departamento de Saúde. Segundo o Município, a equipe de Vigilância em Saúde e Vacina está realizando busca ativa na população desde a última quinta-feira (5), “a fim de realizar a vacina da febre amarela em indivíduos ainda não vacinados e reforçar as recomendações sobre a necessidade da notificação de animais mortos.” A nota, na íntegra, pode ser encontrada no site do Diário do Sudoeste.

De acordo com Rotelok Neto, a pesquisa de primatas mortos bem como a busca ativa de pessoas não vacinadas é realizada pelos municípios, com o apoio técnico da Regional de Saúde. “Ações de busca ativa são realizadas, principalmente, quando se identificam primatas mortos portadores do vírus da Febre Amarela ou quando as condições em que as carcaças são identificadas levam à vigilância suspeitar da circulação viral. Sendo assim, é de extrema importância que a população comunique a Vigilância Sanitária de seus municípios caso encontrem macacos mortos, uma vez que eles são os sinalizadores da presença do Vírus”, disse.

Vacinação

Devido a grande incidência de macacos mortos em Coronel Domingos Soares, aproximadamente, 750 doses da vacina contra a febre amarela foram disponibilizadas pela 7ª Regional de Saúde ao município.

Mesmo sem a confirmação da doença, a regional realizará vacinação na população situada na área de risco, ou seja, locais próximos de onde os macacos mortos foram encontrados.

A vacinação está disponível para todas as pessoas entre nove meses e 59 anos de idade. Maiores de 60 anos só podem se vacinar após avaliação médica.

Como a vacina é a única forma de combater a doença, a 7ª Regional conta com um estoque de mais de cinco mil doses da vacina para disponibilização aos municípios afetados.

Curso de Capacitação

Nos dias 23 e 24 deste mês, a Regional de Saúde, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), promoverá uma capacitação com os técnicos municipais com o objetivo de prepará-los para a realização de buscas ativas e coleta de material biológico de primatas.

Por Jéssica Procópio

Fonte: Diário do Sudoeste

Febre amarela

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.