Gavião foi capturado por bombeiros em consultório odontológico no Parque São Geraldo e depois solto no bairro da Baixa - Foto/Divulgação

Corpo de Bombeiros resgata três animais silvestres em bairros diferentes da cidade de Uberaba, MG

Ontem foi um dia atípico para os bombeiros de Uberaba. Em menos de 24h, equipe do Pelotão de Emergências Ambientais e Resposta a Desastre (Pemad) do 8º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM) atuou em capturas de três animais silvestres, sendo um gavião, um tamanduá e um tatu.

O primeiro resgate foi do tamanduá, que estava dentro de área da Sociedade Uberabense de Proteção Animal (Supra). O bicho foi solto em área de mata do entorno da represa de Volta Grande, da Cemig. Em seguida, a equipe do Pemad capturou gavião em consultório odontológico do Parque São Geraldo e depois o soltou na comunidade da Baixa. E por fim, o tatu foi capturado no bairro Costa Teles e depois libertado, também, na zona rural de Uberaba.

O tenente-coronel Anderson Passos, comandante do 8º BBM, frisou às pessoas que não tentem capturar ou resgatar animais silvestres em situações de risco. “Eles podem se tornar agressivos por se sentir acuados, ferindo não só as pessoas como a si próprios. A melhor maneira é manter o animal no lugar onde ele está, da forma que for possível protegê-lo, e acionar o Corpo de Bombeiros, que fará o resgate da forma mais segura possível a todos”, destacou.

Conforme a degradação ambiental tem aumentado, ainda segundo o comandante Passos, as ocorrências de resgates de animais silvestres também têm crescido. “Na realidade, o que ocorre é que as cidades vão entrando para dentro do habitat dos animais”, lamentou o comandante Passos.

Desde o dia 5 de outubro do ano passado, o 8º BBM conta com um Pemad. A resolução de sua criação foi assinada pelo coronel Cláudio Roberto de Souza, comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. O Pemad é responsável pela prevenção e o atendimento das ocorrências de emergências ambientais, desastres, incêndios florestais e urbanos, emergências com produtos químicos, atividades de busca e salvamento e ações de proteção e defesa civil.

Por Renato Manfrim

Fonte: JM Online

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.