Corridas de cães em Connecticut terminaram em 2005, mas ativistas querem que elas se tornem oficialmente ilegais

Corridas de cães em Connecticut terminaram em 2005, mas ativistas querem que elas se tornem oficialmente ilegais
A antiga pista de corrida de galgos atrás do Winners Shoreline Star, em Bridgeport, Connecticut, 22 de outubro de 2020.

As corridas de galgos ao vivo em Connecticut terminaram em 2005, mas defensores dos direitos dos animais continuam pressionando os legisladores para torná-la ilegal no estado.

Um projeto de lei apresentado pelo Comitê Legislativo de Segurança e Segurança Pública e levantado na audiência pública do comitê na terça-feira em Connecticut, proibiria as corridas de cães, que tecnicamente ainda são legais sob o estatuto do estado. Os moradores ainda poderiam apostar nesses tipos de corridas.

A proposta, que tem apoio bipartidário, foi mencionada diversas vezes na Assembleia Geral nos últimos anos, mas não conseguiu ganhar força.

A CT Votes for Animals, uma organização local de defesa dos animais que representa mais de 5.500 apoiadores, testemunhou na terça-feira que o projeto “encerraria formalmente a questão estatutária sobre corridas de galgos ao vivo”.

Os moradores deram “um suspiro coletivo de alívio” quando as duas pistas de corrida de cães do estado, Plainfield Greyhound Park e Bridgeport Shoreline Star, fecharam em 2005 após anos de declínio e perdas financeiras, disse Jo-Anne Basile, diretora executiva do CT Votes for Animals.

Não existem mais pistas de cães ativas ou indivíduos licenciados a terem essas pistas em Connecticut. Contudo, Jo-Anne acrescentou: “Acredito que muitos ficariam chocados ao saber que existe um problema técnico no qual as corridas de galgos ao vivo podem ser retomadas sem escrutínio”.

Pelo menos um membro do comitê de segurança pública questionou por que a lei é necessária quando as corridas de galgos em Connecticut já foram encerradas há mais de 15 anos.

“Não sei se acredito que um dia as corridas de cães voltarão a acontecer aqui. Eu não entendo exatamente o objetivo dessa legislação”, disse o deputado Kurt Vail, R-Stafford.

Segundo Annie Hornish, diretora estadual sênior da Humane Society de Connecticut, pelo menos 41 estados, incluindo Massachusetts, Nova York e Rhode Island, tornaram as corridas de galgos ilegais.

“Os galgos são confinados e fortemente drogados. Lesões e mortes prematuras são comuns”, revelou Annie em depoimento. “Além disso, foi descoberto que a indústria de corridas de cães usa treinamento de isca viva, onde pequenos animais aterrorizados são forçados a sofrer antes de serem mortos”.

O deputado Michael D’Agostino, tutor de Vella, um galgo de corrida aposentado que ele resgatou, disse que o projeto “encerraria esse triste capítulo em nosso estado, quando muitos cães foram abusados e feridos”.

“Seria uma forte demonstração de como queremos garantir que algo assim nunca se repita e ainda um ato em memória desses animais”, afirmou ele.

Por Julia Bergman / Tradução de Alda Lima

Fonte: CT Insider

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.