Covid-19 adia projeto de clínica veterinária para famílias de baixa renda em Porto Alegre, RS

Covid-19 adia projeto de clínica veterinária para famílias de baixa renda em Porto Alegre, RS

A Clínica Veterinária Instituto Majúna de Proteção Ambiental (IMPA) que estavas prestes a abrir as portas em maio, no bairro Cavalhada, em Porto Alegre, teve que adiar a inauguração. Devido à pandemia de coronavírus, o grupo de voluntários que está à frente do empreendimento se viu obrigado a paralisar as obras por tempo indeterminado. Assim, a promessa de atender animais de famílias de baixa renda fica em suspenso até que o governo estadual dê novas orientações.

Faltavam apenas alguns ajustes e o local iniciaria os atendimentos até a primeira semana de maio. A clínica terá capacidade inicial de atendimentos diários de 60 consultas e 20 castrações. A clínica veterinária que foi batizada com o nome de IMPA (Instituto Majúna de Proteção Animal) é a reunião concreta de todos os sonhos de Raquel Majúna, tornando-se também a consolidação de seu legado frente à causa da dignidade animal.

“Estava tudo certo, as doações estavam vindo bastante e estávamos trabalhando. Continuamos trabalhando até que passou uma viatura da guarda municipal anunciando no megafone para ficar em casa. A gente estava fazendo uma limpeza no lado de fora, com as portas abertas”, contou a protetora sobre os últimos reparos antes da inauguração. “No outro dia, veio o decreto dizendo que as obras tinham que parar. Então, paramos”, completou Majúna que agora, além da falta de perspectiva para iniciar os atendimentos, vê aumentar a lista de pendências para adequar o espaço.

O local onde funcionará a clínica das 9h às 18h – podendo se estender até 21h, caso o grupo consiga um segundo alvará do Corpo de Bombeiros – terá dois consultórios e duas salas de cirurgias. Hoje, o grupo busca por doações de materiais de escritório para adequar a recepção, serviço de informatização da clínica, computadores, materiais de construção e quantias em dinheiro para remunerar pedreiros e para o investimento do mobiliário que falta no espaço. Segundo a Raquel, já foram investidos em torno de R$ 30 mil reais na casa alugada, sendo todo o dinheiro arrecadado em doações.

Crédito da foto: Bernardo Bercht

A equipe, que conta com voluntários e profissionais remunerados da veterinária, tem como principal objetivo sanar a demanda por castrações em animais domésticos de famílias carentes da Capital. O procedimento cirúrgico que Raquel Majúna define como um “ato de responsabilidade” hoje custa em média até R$240 por meios privados, podendo variar dependendo do porte do animal. Esse mesmo serviço, acrescido da recuperação e dos medicamentos, será oferecido pela IMPA por R$60, podendo o valor ser ainda mais baixo no futuro.

O objetivo vai de encontro ao elaborado pela Secretaria Especial de Direitos Animais (Seda), que já em 2019 realizou a castração gratuita de 3.856 animais de estimação da Capital. A proposta da Seda, no entanto, beneficia apenas tutores inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais, como Bolsa Família ou o Número de Identidade Social (NIS).

“Não dá pra trabalhar de graça, mas dá pra trabalhar por um baixíssimo custo”

Apesar de confiar que encontraria profissionais da saúde animal que iriam apoiar seu projeto, a protetora ficou surpreendida quando anunciou a procura nas redes sociais e recebeu 15 currículos de veterinários de diferentes áreas de uma só vez. A grande procura fez com que Raquel Majúna buscasse o Conselho Regional de Veterinária (CRV) para pedir algumas orientações. A reunião com a entidade trouxe todo o apoio técnico que seu empreendimento precisava, incluindo o mapeamento sobre quais serviços eram mais demandados na cidade.

O encontro também deixou mais nítido para ela um outro paralelo: o grande número de profissionais recém formados da saúde animal que não conseguia se encaixar na clínica, se não fosse por meio de empreender o próprio negócio. “Não dá pra trabalhar de graça, mas dá pra trabalhar por um baixíssimo custo”. Assim, além dos cuidados gerais e das castrações, a clínica veterinária IMPA oferecerá consultas nas especialidades de oncologia, neurologia, dermatologia e oftalmologia.

Para fazer qualquer doação dos itens solicitados acima há três meios: buscar por “Raquel Majúna Protetora Animal” nas redes sociais, pelo WhatsApp (51) 99772-5406 e pela conta bancária do Bradesco 237, agência 2468, conta 33391.

Por Brenda Fernández

Fonte: Correio do Povo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.