CPI dos Animais vai elaborar mapa dos crimes contra os animais no Paraná

Por Kharina Guimarães

Os deputados que compõem a CPI dos Animais da Assembleia Legislativa do Paraná definiram nesta quarta-feira que organizarão um mapa do crime ambiental contra os animais no Paraná. A decisão foi tomada durante a reunião da CPI que contou com a participação do delegado titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, Adriano Ademir da Cruz Ribeiro. O presidente da comissão, deputado Felipe Francischini (SD) explica que a coleta de dados de todo o Paraná vai colaborar com o planejamento das ações da CPI.

Segundo o delegado de Proteção ao Meio Ambiente, o Paraná tem apenas uma delegacia especializada em crimes ambientais e contra os animais. A unidade instalada em Curitiba recebe o apoio de delegacias regionais para investigações, mas não há um sistema integrado para registro das ocorrências. Adriano da Cruz Ribeiro ressalta a importância da criação de uma central de inteligência para crimes ambientais.

Com apenas 30 funcionários, a delegacia especializada recebe uma média de 15 a 20 denúncias diárias sobre maus tratos. Em 2014, foram constadas 44 situações de maus tratos aos animais. Já em 2015, o número de crimes registrados aumentou para 177 casos. O delegado enalteceu o trabalho desenvolvido pela comissão.

Além de atuar no combate aos maus-tratos, o trabalho da CPI também deve incluir a venda irregular de animais, a existência de criadouros clandestinos e o desvio de recursos públicos que deveriam ser aplicados na proteção dos animais. O deputado Francischini lembra que o grupo vai cobrar a implementação de políticas públicas que resguardem os animais.

Também participaram da reunião a deputada Cristina Silvestri (PPS), os deputados Rasca Rodrigues (PV), Stephanes Junior (PSB) e Alexandre Curi (PSB).

Fonte: ALEP 

Nota do Olhar Animal: Que a CPI resulte em medidas efetivas em favor dos animais e não na pirotecnia típica de anos eleitorais. 

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.