Cresce grupo de ajuda aos animais em Bauru, SP

Cresce grupo de ajuda aos animais em Bauru, SP

ONGs e organizações independentes se mobilizam para acolher cães, gatos, pássaros e também há quem desenvolve projetos na área de meio ambiente.

Por Thiago Navarro

Certamente, o número de pessoas que se juntaram por conta da causa animal e do meio ambiente foi significativo nas últimas duas décadas. ONGs diversas foram criadas neste período, e pessoas sem vínculo algum com o Estado passaram a tomar frente de ações importantes.

Em Bauru, uma das ONGs mais antigas na causa animal é a Naturae Vitae. Fundada em outubro de 2002, a entidade está prestes a completar 14 anos de existência, e atua em diversas frentes na defesa dos direitos dos animais. “Não somos um abrigo de animais, pelo contrário, entendemos que o principal objetivo hoje é conscientizar a população quanto a posse responsável, mas já fizemos vários resgates, quando havia uma situação muito crítica envolvendo os animais”, explica a presidente da Naturae Vitae, Fátima Schroeder. “E atuamos na parte jurídica também. Por exemplo, é proibido a realização de rodeios na área urbana, e quando isso ocorreu, entramos na Justiça para evitar. É uma luta pela defesa e direito dos animais”, completa.

Maria Aparecida de Camargo Barbosa, a Cida, é outra militante da causa animal. Mesmo sem ter formado uma ONG, ela e outras amigas se juntaram com o grupo “Formiguinhas Valentes”, que atua no setor. “A gente se juntou há uns dois anos, eram 18 pessoas. Depois esse número foi variando, e agora estamos em sete. No começo, a ideia era ter um abrigo, mas vimos que isso não resolveria o problema. Hoje o nosso foco é na conscientização da posse responsável e na castração, porque se não vamos ficar sempre ‘enxugando gelo’”.

O grupo tem planos. “No futuro talvez a gente se formalize como uma ONG, pois isso facilita que eventualmente a gente receba alguma doação, de pessoas físicas ou empresas. Mas não temos e nunca tivemos ajuda de governo, sempre foi algo por conta nossa, fazendo eventos, festas, para levantar recursos”, relata Cida. Já Fátima Schroeder também pontua que a Naturae Vitae é uma entidade independente de verbas estatais. “As pessoas às vezes pensam que recebemos algum dinheiro do governo, mas nunca ganhamos nada com isso, é um trabalho feito por quem acredita na causa”, finaliza.

No meio ambiente, um dos exemplos mais recentes e bem sucedidos em Bauru é o projeto “Fruto Urbano”, que teve início com Miguel Axcar e Khalil Axcar. Atualmente, diversas pessoas se reúnem para plantar árvores em áreas verdes da cidade, como praças, parques, bosques e canteiros. Hoje, por exemplo, o grupo estará na Vila Industrial, em plantio que será das 10h às 13h.
Na última semana, o projeto foi destaque no caderno Segunda-Feira do JC, na seção Atitude, com o relato do trabalho do grupo. “O nome Fruto Urbano tem exata relação com seu propósito: fazer o meio urbano dar frutos, em seu sentido literal”, explicou Miguel.

O Fruto Urbano começou em 2014, e desde então já foram plantadas 5 mil árvores. O grupo também se mobiliza em ações sociais, e todas às segundas-feiras, à noite, distribuí refeições para moradores de rua.

Fonte: JC Net 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.