Criada em Artur Nogueira (SP) Semana de Combate aos Maus-tratos aos Animais

Programação acontecerá em setembro. Projeto deve reduzir o índice de abandono e maus-tratos aos animais no município. Pelo menos dois mil animais encontram-se em estado de abandono em Artur Nogueira.

Por Norton Rocha

Iniciativa entre o Poder Público e a sociedade civil organizada gera mais um ponto positivo no município. Na ocasião, quem leva a melhor são os animais e seus fiéis admiradores. A Câmara de Vereadores de Artur Nogueira aprovou nesta semana a criação da Semana Municipal de Conscientização e Incentivo ao Combate aos Maus-tratos a Animais Domésticos no Município de Artur Nogueira.

Assinada pelo presidente da Câmara, Silvinho Conservani, em 19 de maio deste ano, o projeto de lei tramita pela casa desde o início do ano e, após uma série de análises foi aprovada por unanimidade em plenário. Segundo Conservani, o projeto deve fomentar um debate de profunda importância, mas que ainda tem pouca repercussão na cidade. “Essa iniciativa deve estabelecer um cronograma de diálogo sobre assuntos diretamente relacionados à causa animal”, explica o presidente.

O projeto foi desenvolvido em parceria com a Rede de Proteção Ambiental e Animal de Artur Nogueira (RPAA). Para o presidente da entidade, Carlos Caressato, “a lei é um marco na cidade e deve torná-la referência da causa animal no país”.

Caressato aposta que, com a expansão e a consolidação deste debate no município, uma nova consciência sobre os aspectos da proteção ao animal se fortaleça. “Não podemos aceitar a existência de práticas criminosas como agressão ou qualquer outro tipo de maus-tratos aos animais”. Para ambos, a conscientização neste processo de reeducação é a base para a garantia dos direitos dos animais.

A intenção da Semana, segundo Conservani, é “realizar uma integração entre especialistas nas áreas, a sociedade e o Poder Público e, a partir desta interação, buscar soluções definitivas para os casos de abandono e maus-tratos aos animais”. Atualmente há, pelo menos, dois mil animais em situação de abandono no município. Conservani ressalta que, além da agressão sofrida diretamente por estes animais, a própria sociedade é vítima deste relapso. “Este é um caso de saúde pública e cidadania. Afinal, animais abandonados nas ruas proliferam doenças e geram uma série de riscos as pessoas”.

Com relação a parceria criada para modificar esta situação, o presidente da RPAA ressalta que existe uma sintonia entre o legislativo, o executivo e a sociedade civil organizada, em Artur Nogueira, e ela pode ser o diferencial responsável por uma transformação do cenário no combate aos crimes contra animais na região. “Observamos outras cidades e é comum nos depararmos com a falta de atenção por parte das autoridades com relação a este tema. Nosso município se destaca pela frente que já realiza dentro desta luta”, conclui Caressato.

Fonte: Nogueirense

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.