Crueldade em Machadinho (RS): cadela morta a tiros revela falhas na proteção aos animais

Crueldade em Machadinho (RS): cadela morta a tiros revela falhas na proteção aos animais

Uma cena de barbárie chocou os moradores de Machadinho na noite desta segunda-feira (29). Uma cadela de porte médio, branca com manchas caramelo, foi encontrada agonizando em frente a uma residência após ser vítima de um tiro. A crueldade do ato gerou comoção e levantou questionamentos sobre a efetividade das leis de proteção animal na cidade.

Detalhes do crime e tentativa de resgate

Ainda não se sabe ao certo se o projétil foi disparado por arma de fogo convencional ou de pressão, mas o resultado foi devastador, ceifando a vida da indefesa cadela. A proprietária da casa, ao presenciar a cena, acionou a Brigada Militar e um médico veterinário, mas infelizmente, a cadela não resistiu aos ferimentos.

Motivação desconhecida e impacto social

O que mais revolta a comunidade é a motivação por trás do crime. A crueldade e irresponsabilidade do autor, que optou por tirar a vida de um ser inocente por diversão ou incômodo, demonstram a falta de empatia e compaixão presentes em nossa sociedade.

Falta de ação municipal e denúncias de maus-tratos

A jornalista Raquel Balin Corrêa, da Revista Viral, tentou contato com o prefeito de Machadinho, Alcir Grison, para saber sobre as políticas públicas de proteção animal no município, mas não obteve retorno. Segundo denúncias recebidas pela jornalista, este não é o primeiro caso de violência contra animais na cidade.

Uma moradora, que preferiu não se identificar por medo de represálias, relata: “Somos uma cidade turística e é vergonhoso o nível de abandono e maus-tratos que presenciamos aqui. Não temos canil municipal e a situação é desesperadora.”

Legislação e responsabilidades

A Lei Federal nº 9.605, de 1998, conhecida como Lei de Crimes Ambientais, criminaliza atos de crueldade contra animais, prevendo pena de detenção de três meses a um ano e multa para quem os praticar.

Em âmbito municipal, cabe à administração pública:

  • Criar e implementar políticas públicas de proteção animal: incluindo castração, controle populacional, fiscalização contra maus-tratos, campanhas de conscientização e educação ambiental.
  • Gerenciar um canil municipal: local adequado para abrigar, cuidar e promover a adoção de animais em situação de rua ou vítimas de abandono e maus-tratos.
  • Promover parcerias com ONGs e entidades de proteção animal: para auxiliar na execução de ações de resgate, reabilitação e adoção de animais.
  • Investir em campanhas de conscientização: para sensibilizar a população sobre a importância da proteção animal e combater a cultura da violência contra animais.

Cobrança por ações eficazes

A comunidade de Machadinho e região exige respostas das autoridades. É necessário que o caso da cadela morta seja investigado com rigor e que o autor seja punido de acordo com a lei. Além disso, medidas urgentes precisam ser tomadas para garantir a proteção animal no município, incluindo a criação de um canil municipal, a implementação de políticas públicas eficazes e campanhas de conscientização intensivas.

A omissão e a negligência por parte da administração municipal não serão toleradas. É fundamental que os direitos dos animais sejam respeitados e que os responsáveis por atos de crueldade sejam responsabilizados. A sociedade civil também tem um papel crucial na luta pela proteção animal, cobrando ações concretas das autoridades e denunciando casos de maus-tratos.

Juntos, podemos construir um futuro mais justo e compassivo para todos os seres vivos.

Por Raquel Balin Corrêa

Fonte: Revista Viral

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.