Curral de apreensão da GC de Petrópolis (RJ) apresenta irregularidades

Curral de apreensão da GC de Petrópolis (RJ) apresenta irregularidades

Participaram da vistoria a OAB, órgão de defesa animal e vereadora. Baias sujas, falta de água e falta de funcionários estão entre os problemas.

Por Juliana Scarini

rj petropolis curral1

Nesta quarta-feira (11), uma nova vistoria ao curral de apreensão da cavalaria da Guarda Civil de Petrópolis, Região Serrana do Rio, apontou irregularidades. A visita ao local, que fica em Itaipava, foi feita pela Comissão de Proteção de Defesa dos Direitos dos Animais, pela OAB de Petrópolis e a vereadora Gilda Beatriz, que constatou as irregularidades. De acordo com Gilda, o curral enfrenta falta de água, um dos cavalos estava enfestado de carrapatos e, por volta das 13h30, uma das baias estava cheia de fezes.

Outro problema levantado pela visita do legislativo ao local é o enterro dos animais sacrificados no mesmo terreno onde os outros animais são abrigados. “Vários animais com anemia infecciosa equina foram enterrados naquele terreno. Como garantir que aquele solo não está contaminado?”, questionou Patrícia Santana Leite, chefe de gabinete da vereadora.

Segundo Gilda Beatriz, o que pode estar agravando estes problemas é a falta de funcionários. Apenas quatro guardas municipais e um chefe atuam no local e são responsáveis lavar as baias, cortar capim na beira do rio, atender telefone, receber denúncias, capturar os cavalos, além de lavar as baias e cuidar dos animais com carrapatos, por exemplo.

rj petropolis curral2

“O cavalo está cheio de carrapatos e aquelas máquinas de lavagem é de um dos funcionários, que não estava de plantão hoje. Ou seja, só quando esse funcionário estiver trabalhando o animal vai poder ser lavado para retirar os carrapatos”, contou Patrícia, alegando que o municpipio não oferece equipamentos para os guardas trabalharem.

Ainda de acordo com as informações, a cerca de seis meses a água utilizada vem do cemitério municipal de Itaipava e o fornecimento acontece em intervalos ao longo do dia. Segundo a vereadora, na semana passada, a prefeitura instalou uma caixa d’água no local, mas não solucionou o problema e, muitas vezes, os guardas têm que buscar água em Pedro do Rio.

Segundos os funcionários, a prefeitura não paga mais hora extra e o trabalho é feito em esquema de plantão 24 horas. Entre outras irregularidades, a vistoria encontrou entulhos no local onde deveriam estar guardados remédios. Os alimentos ficam estocados junto com material de limpeza e as obras que deveriam ter sido concluídas em maio do ano passado, ainda não terminaram.

rj petropolis curral3

Para tentar solucionar os problemas do curral, a Comissão de Proteção de Defesa dos Direitos dos Animais, da OAB de Petrópolis, vai entrar com uma Ação Civil Pública.

A reportagem do G1 entrou em contato com a prefeitura para saber como o município pretende solucionar os problemas apontados pela vistoria, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.