Das correntes à liberdade: filhote de leão resgatado do comércio de animais de estimação encontra um santuário

Das correntes à liberdade: filhote de leão resgatado do comércio de animais de estimação encontra um santuário
Crédito da foto: Humane Society International

Um filhote de leão de quatro meses chamado Pi foi resgatado das garras do comércio ilegal de animais de estimação no Líbano e recebido em seu novo lar em um santuário na África do Sul.

Em março de 2024, surgiram vídeos angustiantes nas mídias sociais que mostravam o filhote sendo explorado para selfies e para ser acariciado nas ruas do Líbano. Pi foi mostrado sendo mantido acorrentado em condições precárias e com a boca fechada com fita adesiva.

Graças à ação rápida do grupo local Animals Lebanon e ao generoso apoio da Humane Society International (HSI), o resgate de Pi foi possível. Seu voo para a África do Sul foi financiado pela HSI, e ele foi recebido de braços abertos pelo santuário Drakenstein Lion Park, localizado nos arredores da Cidade do Cabo, onde viverá seus dias em paz e segurança.

O resgate de Pi não é um acontecimento isolado, mas sim parte de um esforço mais amplo para combater o comércio ilegal e desenfreado de grandes felinos como animais de estimação no Líbano. Apesar das leis que proíbem a propriedade privada de leões como animais de estimação, a prática persiste, alimentada pelo contrabando de animais através das fronteiras para satisfazer a demanda. Pi se junta a outros dois filhotes de leão, Issam e Kelly, que também foram resgatados de circunstâncias semelhantes e agora chamam o Drakenstein Lion Park de lar. Esse santuário oferece um refúgio seguro para essas criaturas majestosas, livres da exploração e do abuso que sofreram em cativeiro.

Crédito fotográfico: Kobus Tollig Productions
Crédito fotográfico: Kobus Tollig Productions

O momento da realocação de Pi é particularmente significativo, coincidindo com uma decisão histórica do governo da África do Sul de encerrar o setor de criação de leões em cativeiro. Essa medida marca um passo crucial para acabar com o ciclo cruel de exploração que tem atormentado esses animais por muito tempo.

A Dra. Audrey Delsink, diretora de vida selvagem da Humane Society International/África, saudou o resgate de Pi como uma vitória na luta contra a crueldade animal. Ela enfatizou a necessidade de uma reforma abrangente para garantir que todos os grandes felinos em cativeiro na África do Sul sejam protegidos da exploração.

“A provação de Pi no comércio ilegal de animais de estimação é um exemplo do que milhares de filhotes como ele enfrentam nas mãos do setor de criação em cativeiro aqui na África do Sul. É animador saber que, depois de muitos anos de ativismo, o gabinete da África do Sul apoia o fim desse setor cruel e explorador, para que essas criaturas magníficas não nasçam mais para sofrer em nome do lucro. À medida que o plano de saída voluntária da Equipe de Tarefas Ministeriais se desenrola e uma moratória sobre a criação de leões é estabelecida, vários filhotes serão salvos das garras dos exploradores. No entanto, embora elogiemos o Departamento de Silvicultura, Pesca e Meio Ambiente (Department of Forestry, Fisheries and the Environment – DFFE) por seu compromisso com a reforma desse setor, pedimos que ele aplique a proibição a todos os grandes felinos em cativeiro na África do Sul e inclua uma proibição de manter grandes felinos como animais de estimação.”

Shane Hart, diretor assistente do Drakenstein Lion Park, expressou seu orgulho em dar a Pi seu lar definitivo, onde ele receberá cuidados especializados e viverá seus dias livre de perigos.

“Nós do Drakenstein Lion Park, o mais antigo e verdadeiro santuário da África do Sul, estamos incrivelmente orgulhosos de oferecer a Pythagoras (Pi) seu lar eterno. Aqui, ele receberá nossos cuidados especializados pelo resto de sua vida natural, livre de exploração e abuso. Somos incrivelmente gratos à Animals Lebanon e à Humane Society International por toda a ajuda e esforço para garantir que seu resgate fosse realizado. Pi está em uma área de avaliação e quarentena construída de acordo com suas necessidades, enquanto seus traumas mentais começam a se curar, e será transferido para um recinto maior para filhotes assim que estiver pronto. Quando esse pequeno guerreiro não for mais pequeno, ele será transferido para seu recinto de tamanho normal, seu santuário definitivo.”

Enquanto Pi se acomoda em seu novo ambiente, há maneiras de as pessoas apoiarem os esforços para proteger os leões e outros grandes felinos na África do Sul.

  • Nunca visite ou apoie instalações que ofereçam interação com a vida selvagem (como acariciar filhotes ou caminhar com leões) ou que criem e comercializem animais selvagens. Visite org para obter mais informações.
  • Assine a petição da HSI/Africa’s Big Cats para ajudar a instar o DFFE a introduzir uma legislação que proíba a manutenção de tigres, leões e outras espécies de grandes felinos como animais de estimação. Essa legislação deve incluir a proibição do contato público com todas as espécies de grandes felinos, não apenas leões, incluindo a manutenção dessas espécies para fins promocionais, educacionais ou de entretenimento e experiências interativas, como acariciar filhotes e passear com grandes felinos. Assine aqui: org/bigcatssa
  • Siga as redes sociais da HSI/Africa (@HSIAfrica) para encontrar informações compartilháveis sobre o setor de criação de leões em cativeiro na África do Sul e atividades associadas. Compartilhe esse conhecimento com seus amigos e familiares e incentive-os a não fazer parte desse setor explorador também.
Crédito da foto: Humane Society International
Crédito da foto: Humane Society International

Por Brent Lindeque / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: Good Things Guy

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.