Delegado aguarda perícia para concluir inquérito que investiga morte de cavalo em Teresina, PI

Delegado aguarda perícia para concluir inquérito que investiga morte de cavalo em Teresina, PI
Delegado aguarda perícia para concluir inquérito que investiga morte de cavalo

O delegado Williame Moraes, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), aguarda laudo de necrópsia para concluir o inquérito que investiga a morte de um cavalo no bairro Buenos Aires, zona norte de Teresina.

Segundo a denúncia, o animal foi enforcado por manejo inadequado da equipe do Centro de Zoonoses, o que teria ocasionado o óbito. O caso aconteceu dia 18 de janeiro. Parte da ação foi filmada e o vídeo circulou indignando internautas através das redes sociais.

Ao Cidadeverde.com, o delegado afirmou que as partes envolvidas já foram ouvidas e que o laudo será a peça chave para concluir o inquérito.

“Tinha uma suspeita de que o cavalo tinha uma doença pré-existente. Mas queremos saber se foi falta de preparo da equipe ou algum outro fator. A perícia vai nos dizer. O laudo deve sair em 30 dias”, destacou o delegado.

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com
Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com

O caso

O animal estaria se alimentando quando foi laçado com uma corda e acabou sendo supostamente estrangulado. O delegado Willame Moraes explica que está sendo apurado o crime de maus-tratos e adianta que já oficiou ao Centro de Zoonoses.

“Foi uma ação mal sucedida que veio a matar esse animal. Já ouvimos o carroceiro, entramos em contato com a Gerência de Zoonoses para que nos apresente esses funcionários para gente ter uma visão de tudo o que aconteceu e possa chegar de forma bem clara ao Judiciário”, explica o delegado.

Perdi minha fonte de renda

O cavalo se chamava Sheldon tinha cerca de sete anos e era do carroceiro Júlio César que se emociona ao lembrar do animal.

“O cavalo era quem me ajudava a sustentar minha família e me ajudava a ter renda. Agora fiquei desamparado. Dependia dele pra trabalhar, cuidar dos meus filhos, pagar minhas contas, alimentar meus filhos […] meus filhos todos gostavam dele, e eu também. Minha filha mais nova chorou, ela era muito apegada a ele. Vou ficar com saudades! gostava muito dele. Ele era parte da minha família, era como se fosse irmãos dos meus filhos, a gente conversava com ele. Me ajudava a trabalhar e ajudava a sustentar meu filhos. Estou sem o amigo e sem ferramenta de trabalho”, lembra o carroceiro que diz que Sheldon atendia pelo nome e relinchava ao passar por ele.

Foto: Paula Sampaio / Cidadeverde.com
Foto: Paula Sampaio / Cidadeverde.com

Por Nataniel Lima

Fonte: Cidade Verde