Dema apreende 20 pássaros em residência em Cuiabá, MT

Dema apreende 20 pássaros em residência em Cuiabá, MT

Uma moradora do bairro 8 de Abril foi autuada por crime contra fauna e maus-tratos a animais silvestres mantidos em gaiolas.

Por Rodivaldo Ribeiro

MT Cuiaba apreende passaros residencia

Vinte pássaros de espécies protegidas por lei mantidos em cativeiro foram apreendidos em ação da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (DEMA) na manhã de quinta-feira (22) em uma residência em Cuiabá. A moradora do imóvel, C.A.C., foi conduzida à delegacia especializada e autuada no termo circunstanciado de ocorrência (TCO), por crime ambiental contra a fauna, de maus-tratos a animais silvestres.

As diligências começaram depois de denúncias sobre a existência de pássaros dentro de gaiolas de forma irregular em uma casa no bairro 8 de Abril. Com base nas informações, policiais civis da Dema foram até o local e, conversando com a morada da residência, conseguiram avistar no terreno várias gaiolas com pássaros de diversas espécies.

Em buscas na casa, foram encontradas 20 espécies de aves, sendo dois sabiás do campo, dois bicudos, três canários, cinco coleras, um papagaio, uma jandaia, um pintagol híbrido (cruzamento de espécie), das calopsitas e três pássaros pretos.

A suspeita afirmou que os pássaros pertenciam ao seu esposo, V.S.B., que possui a licença ambiental para algumas espécies, conforme a lei, porém o documento não foi apresentado. Em seguida, os pássaros e as gaiolas foram apreendidos e identificados pela equipe do Setor de Coordenadoria de Fauna e Flora, da Secretaria do Meio Ambiente, e posteriormente entregues ao Batalhão Ambiental da Polícia Militar.

A dona dos pássaros foi conduzida a Dema e após ser interrogada responderá pelo crime ambiental previsto na Lei. 9.605/98, contra a fauna –– maus-tratos a animais silvestres.

A ação foi realizada pelos policiais civis Arley e Heliton, coordenados pelo delegado de polícia Gianmarco Paccola Capoani.

Fonte: Diário de Cuiabá

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.