Denúncias de maus-tratos contra animais crescem em Piracicaba, SP

Denúncias de maus-tratos contra animais crescem em Piracicaba, SP

Números do CCZ do município indicam alta de 14% nos crimes. Nos últimos meses, cidade teve gatos espancados até a morte.

SP piracicaba aumentodenuncias9645

Denúncias de maus-tratos de animais cresceram 14% em Piracicaba (SP), segundo números do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Além do aumento nos registros desta natureza, a cidade teve nos últimos meses casos de mortes violentas praticadas contra cães, gatos e outros bichos. Os casos são investigados pela Polícia Civil, mas ainda não foram solucionados.

Conforme os dados divulgados pelo CCZ, aconteceram 189 denúncias de maus-tratos contra animais no primeiro trimestre deste ano. No segundo trimestre, o número passou para 213 ocorrências. São 402 casos só no primeiro semestre do ano, e esse é o levantamento mais recente, segundo o Centro de Controle de Zoonoses.

As informações do segundo semestre de 2014 ainda não foram disponibilizadas pelo órgão, mas o município tem registrado diversos casos de mortes violentas de animais nos últimos meses. Além do cachorro que foi morto enforcado em uma árvore do bairro Higienópolis no início deste mês, 38 gatos foram encontrados mortos no Cemitério da Saudade entre o final de outubro e meados de novembro.

A presidente do grupo Gatos do Cemitério, Elcian Granado, disse que os sinais de crueldade eram evidentes. “Dá para perceber que a pessoa tinha ódio dos animais”, afirmou ela.

Segundo o laudo de necropsia, 17 felinos tiveram mortes por espancamento no cemitério. Como o espaço é público, três servidores da Prefeitura de Piracicaba foram afastados e três câmeras de segurança foram instaladas no local. A Polícia Civil abriu um inquérito sobre os casos. Já em relação ao cão enforcado, nenhum suspeito foi identificado.

Em agosto, a Guarda Municipal (GM) encontrou corpos de cães, cabritos e aves em uma área da zona rural. Os cadáveres estavam sem a cabeça e sem as patas e foram jogados em meio à vegetação. Uma investigação sobre maus-tratos também foi aberta. A suspeita era a de que os bichos tenham sido usados em rituais de sacrifício.

Fonte: EPTV/G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.